Menu
Busca segunda, 23 de novembro de 2020

MS precisa de R$ 1,2 bi para recuperar sete pontos críticos em estradas

MS precisa de R$ 1,2 bi para recuperar sete pontos críticos em estradas

29 outubro 2011 - 09h50
Campograndenews

Realidade divulgada pela 15ª Pesquisa CNT de Rodovias 2011 mostra que Mato Grosso do Sul precisa de, pelo menos, R$ 1,2 bilhão para recuperar 7 trechos críticos nas rodovias que cortam o Estado e mais R$ 146 mil para conservação.

Em Mato Grosso do Sul, apenas 2,6% da malha é considerada em ótimo estado de conservação, índice bem menor que a média do Centro-Oeste, que foi de 6,7%.

Outras 24,6 são consideradas boas aqui no Estado, 40,6%, regulares, 28,5%, ruins; e 2,8% estão em péssimas condições.

No total foram avaliados 4 mil quilômetros entre rodovias federais e estaduais.

A pior situação foi verificada em 103 quilômetros da MS-306, onde a pavimentação é avaliada como ruim e a sinalização como péssima, assim como a geometria – que inclui itens como pista simples de mão dupla, faixa adicional de subida, pontes e viadutos, entre muitas outras variáveis.


As melhores condições estão em duas estradas federais, em 276 quilômetros da BR-158 e em outros 73 da BR-359, na região de Alcinópolis.

Nos trechos que precisam de recuperação, a pesquisa recomenda a reconstrução de 18 quilômetros totalmente destruídos, além da restauração de 568 km com trincas, buracos, ondulações e afundamentos e a manutenção de trecho de outros 1.580 km pelo Estado.

O estudo é realizado por 17 equipes e coordenado pela CNT e pelo Serviço Social do Transporte e Serviço Nacional de Aprendizagem do Transporte, como forma de verificar o que afeta o conforto e a segurança de quem trafega pelas estradas do País. Aqui no Estado, o grupo passou por 8 estradas sob responsabilidade do governo estadual e 12 federais.

No item sinalização, são conferidas as condições das faixas, visibilidade e legibilidade de placas. Da malha analisada em Mato Grosso do Sul, só 4% tiveram sua sinalização classificada como de ótimo estado; 13,3% como bom; 42,5%, regular; 25,2%, ruim e 15%, péssimo.

A pesquisa foi realizada junho a agosto deste ano. Novamente, o Sudeste do País é a região que apresenta as melhores condições de rodovias, 24,6% são classificados como em ótimo estado. Em seguida aparece a Região Sul, com 19,7% do total de 16.199 km analisados como em ótimo estado. O Norte tem o pior desempenho, possui 0,8% das estradas avaliadas como ótimas.

No Centro-Oeste, a média é 6,4% em ótimas condições; 22,7% em bom estado; 35%, regulares; 26,7%, ruins; e 9,1% em péssimo estado.


A Rodovia Guairá-Porã, como é conhecida a 286, que liga a cidade de Guiará no Paraná, a cidade de Ponta Porã, desde que foi entregue no final de 1.985, passou apenas por uma recuperação no inicio do governo Zeca do PT, isso depois que foi instituído o FUNDERSUL.

Hoje a realidade desta estrada é outra completamente esburaca, sem condições de propiciar uma viagem tranquila aos seus usuários está necessitando urgentemente de um serviço de recapeamento.

O trecho da estrada que corta a cidade de Amambai, passando pela av. Pedro Manvailer em determinados locais está horrível e não se tem mais asfalto e sim trabalho de tapa buraco.

Conforme informações d pecuaristas da região de fronteira o valor cobrado pelo Fundersul, imposto criado pelo governo do estado para melhorar as rodovias, varia de animal, pois se cobra um valor pelo bezerro, outro pela vaca e outro pelo boi, mas em média gira em torno de quatro reais por cabeça (4 reais), e as estradas continuam cheias de buracos.

O governador André Puccinelli que é do PMDB e já anunciou seu apoio a um candidato de seu partido deveria fazer alguma coisa urgente para que os usuários tenham uma rodovia em melhor qualidade de uso.

Deixe seu Comentário

Leia Também

ESPORTE
Mato Grosso do Sul brilha no Brasileiro de Canoagem Maratona e conquista 16 medalhas
PGE
Adesão de advogados é imprescindível para sucesso do Acordo Direto em precatórios
BOLETIM COVID
De cada 100 testes de Covid em MS metade tem dado positivo
SAÚDE
Butantan anuncia que testes da CoronaVac chegaram à fase final