Menu
Busca domingo, 29 de novembro de 2020

Na estreia de Adriano, Corinthians atropela Atlético-GO e volta à liderança

09 outubro 2011 - 21h10Por ESPN
A 28ª rodada do Campeonato Brasileiro foi perfeita para o Corinthians. A equipe contou com o tropeço dos seus concorrentes e fez a sua parte para retomar a liderança da competição nacional. Ontem, a equipe corintiana foi avassaladora no primeiro tempo e bateu o Atlético-GO pelo placar de 3 a 0, no Pacaembu. Os gols de Leandro Castán, Willian e Alex aconteceram ainda antes do intervalo.

Além do triunfo, a torcida do time paulista ainda pôde comemorar a estreia do atacante Adriano. O Imperador entrou aos 34 minutos do segundo tempo, no lugar de Alex.

Com a vitória, o Corinthians chega aos 51 pontos, na liderança isolada da competição. Já o Atlético-GO permanece com 38 pontos, em posição intermediária.

Na próxima rodada, o Corinthians recebe o Botafogo, enquanto o Atlético-GO visita o Avaí.



O jogo

A festa teve início bem cedo. Enquanto esperavam pelo começo do jogo, marcado para as 18 horas, os torcedores acompanhavam o andamento dos demais resultados da 28ª rodada. Comemoraram especialmente a derrota do Vasco por 3 a 0 para o Internacional, no Beira-Rio. O tropeço do então ponteiro abriria caminho para o Corinthians, com uma vitória simples, pairar novamente na primeira posição. Os festejos se seguiram no momento em que o atacante Adriano foi anunciado e subiu a campo.

O centroavante, porém, só faria sua estreia nos minutos finais da etapa complementar. Antes disso, os 11 titulares preparam o terreno, conforme o próprio camisa 10 havia pedido durante a semana. "Espero que dê tudo certo. É lógico que ainda não estou bem para jogar uma partida inteira. Se o Tite precisar, vou tentar ter um bom papel. É difícil, mas o que vale é a disposição, a vontade de ajudar", repetiu Adriano, antes do confronto.

Quando a bola de fato rolou, a rede não demorou a balançar. Logo aos oito minutos do primeiro tempo, Danilo acertou cabeceio na trave, e o Corinthians descolou escanteio pelo lado direito do campo na jogada seguinte. Alex levantou a bola de novo para o meio da área, e Leandro Castán, sem marcação, meteu a cabeça na bola para inaugurar o placar.

Acesa, a equipe mandante se manteve contundente. Aos 14 minutos, o atleticano Márcio quase foi surpreendido por chutão do campo de defesa corintiano. Por estar adiantado, o goleiro teve que recuar alguns passos e esticar o braço ao máximo antes de estapear a bola para escanteio.

O Atlético respondia timidamente e, na maior parte de seus ataques, os homens de frente se encontravam impedidos. Sua fragilidade ficou clara aos 37 minutos. Dois marcadores trombaram e viram Willian ficar com a bola espirrada perto do bico direito da área. O atacante puxou para a perna esquerda, bateu colocado, no ângulo oposto de Márcio, e ampliou a vantagem. Cinco minutos depois, Alex recebeu dentro da área e, de direita, anotou o terceiro do Corinthians.

A segunda etapa serviu apenas para os jogadores do Corinthians controlarem o resultado e ouvirem pedidos da torcida por Adriano. O técnico Tite foi insultado por parte da torcida e só cedeu ao apelo pouco após a metade do segundo tempo, não por necessidade, mas porque tinha o resultado nas mãos. Sem jogar desde 19 de janeiro, quando ainda defendia a Roma, e recuperado de cirurgia no tendão de Aquiles do pé esquerdo, o centroavante entrou tarde.

Depois de muita espera e cumprimento do fisioterapeuta Bruno Mazziotti, com quem trabalhou durante os pouco mais de cinco meses de recuperação, ele pisou o gramado aos 34 minutos para substituir Alex. No período em que esteve em campo, Adriano movimentou-se pouco, contudo foi a cereja do bolo na festa armada para a vitória que recolocou o Corinthians na liderança.


Deixe seu Comentário

Leia Também

LOTERIA
Ninguém acerta a Mega-Sena e prêmio principal acumula em R$ 7 milhões
PANDEMIA
Covid-19: aumento no número de casos coloca 31 municípios em grau de risco no Prosseguir
ELEIÇÕES 2020
Eleitores de 57 cidades voltam às urnas neste domingo no segundo turno
BRASIL
Covid-19: casos acumulados somam 6,2 milhões e óbitos chegam a 172 mil