Menu
Busca sexta, 05 de março de 2021

Passaia pode ser denunciado na Uragano

Passaia pode ser denunciado na Uragano

21 setembro 2011 - 10h19Por Capital News
A 1ª Turma Criminal do Tribunal de Justiça de Mato Grosso do Sul (TJMS) manteve, por unanimidade, a Operação Uragano, desencadeada em Dourados, e ainda determinou o envio de cópias dos autos à Procuradoria de Justiça, por conta do não oferecimento de denúncia contra a pessoa que fez acordo de delação premiada, jornalista Eleandro Passaia.

A decisão foi baseada no habeas corpus impetrado por um dos réus. Entre as alegações estavam a ilegalidade da participação de Passaia na captação de informações, falta de atribuição da Polícia Federal, ilegalidade de escutas telefônicas, incompetência de promotores que atuaram no caso e o fato de Passaia não ter sido denunciado com os demais envolvidos.

O réu pediu o trancamento da ação penal e nulidade nas investigações. Entretanto, o TJMS só concedeu parte do pedido, autorizando a perícia nas gravações audiovisuais e determinado encaminhamento de cópias do processo ao Procurador-Geral de Justiça, diante da decisão de não oferecer a denúncia contra Passaia.

O relator do processo, desembargador Dorival Moreira dos Santos, considerou que a legislação oferece vários benefícios para a delação premiada, como redução da pena ou prisão mais branda. Entretanto, avaliou que não seria o caso de sequer oferecer a denúncia. O desembargador entendeu que caberá ao Procurador-Geral reavaliar a decisão de não oferecer denúncia contra Passaia.

Com relação ao pedido de trancamento da ação, os desembargadores reconheceram a excepcionalidade da medida, “somente possível quando emerge dos autos, sem a necessidade de exame valorativo do conjunto fático-probatório, a atipicidade do fato, a ausência de indícios que embasem a acusação ou a extinção da punibilidade”. Dorival reconheceu ainda a legitimidade dos promotores e a atribuição da Polícia Federal, que iniciou as apurações, pois envolviam verbas federais. O desembargador ainda considerou que as interceptações foram lícitas, pois eram autorizadas pelo Juízo competente.

Deixe seu Comentário

Leia Também

CRIME AMBIENTAL
Polícia Militar Ambiental de Batayporã autua mulher de 40 anos por maus tratos a cachorro
BOLETIM COVID
SES registra 23 novos óbitos por Covid, e MS já acumula 3.416 vidas perdidas
SAÚDE
Ocupação elevada de UTIs pode aumentar média de vítimas de covid-19
MS
Informe de Rendimentos 2020 dos servidores públicos estaduais já está disponível