Menu
Busca segunda, 28 de setembro de 2020

PM morto por policial federal em Dourados é promovido por ato de bravura

12 novembro 2011 - 13h59Por GD News
O policial militar Sandro Álvares Morel, morto a tiros no dia 08 de maio deste ano pelo policial federal Leonardo de Lima Pacheco, em Dourados, foi promovido a graduação de cabo por ato de bravura. A promoção, assinada pelo governador André Puccinelli (PMDB), foi publicada na edição desta sexta-feira (11) do Diário Oficial do Estado.

Conforme o decreto, Morel foi promovido “por ter praticado atos não comuns de coragem e audácia que, ultrapassando os limites do cumprimento do dever, representam feitos indispensáveis às operações desenvolvidas pelo Polícia Militar do Estado de Mato Grosso do Sul”.


Segundo o tenente-coronel Evaldo Iahn Mazui, a promoção já era prevista antes mesmo de sua morte. Em outubro de 2009, o militar havia se envolvido em uma ocorrência e, durante troca de tiros, um bandido veio à óbito e outros dois foram presos.


Morel entrou para a Polícia Militar em 27 de setembro de 2004 e, segundo Aparecido Lima, diretor da Regional da ACS (Associação dos Cabos e Soldados da Polícia Militar e Bombeiro Militar de Mato Grosso do Sul) em Dourados, nestes quase sete anos de serviços prestados na área de segurança pública sempre teve uma conduta exemplar e era um profissional sério e dedicado.


Logo após o crime, a ACS protocolou documento junto ao MPF (Ministério Público Federal) exigindo um acompanhamento rigoroso dos fatos, para que não houvesse parcialidade nas investigações.


Pacheco foi para Belo Horizonte (MG), sua terra natal, para tratamento médico. Porém, teve que retornar dias depois por ordem da justiça.


Deixe seu Comentário

Leia Também

ECONOMIA
Contas públicas podem ter déficit de R$ 871 bilhões este ano
CRIME AMBIENTAL
Mulher de 51 anos é autuada em R$ 5,5 mil por criar papagaio ilegalmente e manter a ave em situação de maus-tratos
NOTÍCIAS
Busca e apreensão veicular indevida geram danos morais
SEGURANÇA
Fiscalizações da Agepan seguem reforçadas para coibir transporte clandestino