Menu
Busca domingo, 17 de janeiro de 2021

04 agosto 2012 - 14h20
Campograndenews

Dois bandidos envolvidos no ataque a um caixa eletrônico de Cassilândia morreram e outros três – os mandantes do crime - estão presos. A tentativa de furto aconteceu na madrugada dessa sexta-feira e houve troca de tiros com policiais do Garras (Delegacia Especializada de Repressão a Roubo a Banco, Assaltos e Sequestros).

A Polícia Civil investigava a quadrilha e descobriu que o bando se preparava para explodir um caixa eletrônico. Durante cinco dias, o grupo foi monitorado por policiais civis da região do Bolsão e também do Garras. A intenção era verificar qual seria o alvo e quando seria o ataque.

Na madrugada dessa sexta-feira, os policiais flagraram os bandidos colocando explosivos no caixa eletrônico do Posto São Paulo, em Cassilândia, a 418 quilômetros de Campo Grande. O vigia do posto estava no local e para evitar que a explosão acontecesse, os investigadores abordaram o grupo, que estava com pelo menos quatro armas de fogo.

Houve troca de tiros e dois integrantes da quadrilha foram baleados: Fábio Luiz Silveira, 19 anos, e Thales Henrique Nascimento, 18 anos. Fábio foi levado para atendimento médico, mas morreu na Santa Casa de Cassilândia. Thales foi baleado na perna e encontrado cinco horas depois em uma chácara próxima à área urbana. Ele também foi levado para o hospital e lá morreu à tarde.

Os mandantes do crime foram presos em Paranaíba. De acordo com o Garras, os chefes da quadrilha são: Edson Adão Nicoleti, 45 anos; Eduardo Rocha Alves, 51 anos, e Ângelo Márcio de Souza, 36 anos. Eles foram autuados por formação de quadrilha.

Segundo o Garras, os executores do crime são de Cuiabá, Mato Grosso, e ainda não foram localizados. O trabalho de investigação conta com apoio da Gerência de Combate ao Crime Organizado, da Polícia Civil de Cuiabá. Há pelo menos mais duas pessoas envolvidas na ação.

Deixe seu Comentário

Leia Também

CUIDADO
Janeiro Branco e os cuidados com saúde emocional em meio a uma pandemia
SELVÍRIA
Paulista é autuado por derrubada de árvores e incêndio ilegal da vegetação nativa
CORONAVÍRUS
Em 24 horas MS registra 1.316 exames positivos de Covid-19 e 13 mortes
JUSTIÇA
Senacon adotas medidas para combater comércio de vacinas falsificadas