Menu
Busca terça, 01 de dezembro de 2020

Prefeitura de São Paulo libera funcionamento do shopping Center Norte

07 outubro 2011 - 00h19Por UOL
A Prefeitura de São Paulo informou, em nota divulgada por volta de 20h20, que suspendeu a interdição do shopping Center Norte, fechado desde quarta-feira (5), depois que o estabelecimento adotou medidas para controlar a medição de gás metano no solo do shopping. Com a autorização, o Center Norte reabrirá hoje (7), segundo informou a assessoria do local. O Lar Center e o supermarcado Carrefour também abrem nessa sexta.

A liberação foi realizada após o prefeito Gilberto Kassab (PSD) ter visitado o local hoje junto com o secretário estadual de Meio Ambiente, Bruno Covas (PSDB), e técnicos da Cetesb (Companhia Ambiental do Estado de São Paulo). Na ocasião, o prefeito recebeu um laudo da Cetesb atestando que o shopping implantou as medidas emergenciais solicitadas.

Um grupo formado por representantes das secretarias municipais de Meio Ambiente, Controle Urbano e Coordenação das Subprefeituras analisou o laudo da Cetesb e decidiu liberar o funcionamento do shopping.

Dez drenos foram colocados no complexo após a Cetesb recomendar a instalação de nove equipamentos. A companhia diz que considera atendida a exigência de instalação de um sistema emergencial para extração do gás. Com isso, a multa diária foi suspensa.

Além dos drenos, o Center Norte abriu 27 poços de medição de gases no solo. Em 23 deles foi constatado "pressão negativa", condição desfavorável para o gás subir ao shopping. Nos quatro restantes foi detectado "vácuo" --ausência de gases que causariam combustão.

"Estou convencido de que o shopping errou pois deveria ter tomado providências anteriormente. Estou convencido de que a prefeitura acertou na interdição e que agora o shopping tomou as providências necessárias", disse o prefeito, após a vistoria.

De acordo com o governo, as demais áreas ao redor do shopping –Lar Center, Expo Center Norte, Carrefour, Novotel, um prédio da Defesa Civil e o Conjunto Habitacional Cingapura na avenida Zaki Narchi– têm 120 dias para investigar se há gás tóxico no subsolo, seguindo um protocolo estabelecido pela Cetesb.

Deixe seu Comentário

Leia Também

PROPINA DIFERENTE
Traficante Minotauro usou canetas de US$ 900 para pagar propina a agentes paraguaios, afirma MPF
ECONOMIA
Seis milhões de pessoas pediram empréstimo na pandemia, diz IBGE
CORONAVÍRUS
Falta de leitos de UTI coloca em risco população de Dourados, diz secretário
TRÊS LAGOAS
Polícia Civil esclarece homicídio qualificado ocorrido em novembro e prende suspeito