Menu
Busca sábado, 06 de março de 2021

Primeiro pódio de Cielo no Finkel expõe assédio interminável

31 agosto 2011 - 16h30
Primeiro pódio de Cielo no Finkel expõe assédio interminável e fanfarra atrás de anônimos

Uol

Cesar Cielo disputa sua primeira competição em território nacional após ser advertido em processo de doping. Imagem arranhada? Nem um pouco. O campeão olímpico e bi mundial segue prestigiado. Ao longo destes três dias de Troféu José Finkel, em Belo Horizonte, ele foi muito assediado principalmente por crianças. O auge foi nesta quarta-feira na premiação da final dos 50 m livre, em que foi campeão. Mas não é somente o principal nadador do país que recebe pedidos de autógrafos. Os ‘anônimos’ atendem aos apelos após ouvir: “moça”, “tia”, “lindo”.

Cielo costuma ser parado na chegada ao Minas Tênis Clube, antes e após as provas. A maratona de autógrafos é interminável. Em seu primeiro pódio no Finkel, o assédio foi ainda maior. Crianças associadas ao clube mineiro se esforçavam para fotografar o ídolo com a medalha. E, depois, o cercaram em busca de autógrafos e mais imagens. O campeão olímpico tentou atender a todos e ainda fez uma parada para falar com a imprensa.

Nem no local destinado ao Flamengo Cielo teve sossego. O presidente da Federação Aquática Mineira, Renato Maia de Sena Horta, levou a família para tietar o campeão olímpico. O jogador de vôlei Henrique também esteve na lista de fãs. O central do Minas foi com os filhos no segundo dia, mas não conseguiu encontrar o nadador e voltou nesta quarta-feira.

Após terminar as eliminatórias e a semifinal dos 50 m livre com o segundo melhor tempo, Cielo superou na final o amigo e companheiro de equipe Nicholas Santos, que ficou com a prata. “Eu falei que ele estava guardando”, brincou o vice-campeão. O paulista de Santa Bárbara D’Oeste também entrou na brincadeira: “Ele também [estava guardando o melhor para a final]. O velhinho é espertinho”.

Cielo venceu os 50 m livre com 21s97. “Achei que nadei bem. A saída foi razoável, mas meu nado está bem eficiente. O tempo está bacana”, analisou. Mesmo nadando abaixo do índice para obter a vaga na Olimpíada (22s11), o bicampeão mundial já ocupa a lista atual de classificados na prova, com o 21s52 obtido na final do Mundial de Xangai. O outro posto é atualmente ocupado por Bruno Fratus, com 21s76. No Finkel, ele terminou em terceiro.

O nadador do Pinheiros, aliás, é outro atleta que vem sendo assediado por alguns fãs e outros nem tanto. Fratus deu autógrafo para dois meninos após ser chamado de “tio”. “Tio? Eu sou só um pouco mais velho que vocês. Quantos anos você acha que eu tenho?”. Um dos garotos rebateu com 30 anos. “Nossa, acabou comigo, vou sem moral para a prova”, brincou antes da final dos 50 m livre.

Uma turma de meninos saiu da tenda do Pinheiros comemorando os autógrafos na camisa do Minas. “Eu peguei da Carolina Mussi. Não sei quem é, mas é linda”. Um outro garoto saiu correndo atrás de uma atleta do Corinthians. “Moça, me dá um autógrafo”, pediu ele, que confessou não saber nem o nome da nadadora.

Deixe seu Comentário

Leia Também

ANAURILÂNDIA
PMA autua paranaense por construir estrada sem autorização ambiental em seu sítio no município
FRONTEIRA
Moradora acorda com barulho e encontra janelas 'furadas de bala'
BOLETIM COVID
Já faltam leitos nos hospitais da macrorregião de Campo Grande
POLÍCIA
Briga entre vizinhos termina em ameaça e homem preso com revólver