Menu
Busca quarta, 02 de dezembro de 2020

Professores das universidades federais paralisam na próxima quarta-feira

23 agosto 2011 - 13h40Por Fonte: Matéria
Professores das universidades federais paralisam na próxima quarta-feira

Os docentes das Instituições Federais de Ensino de todo o Brasil farão uma paralisação na próxima quarta-feira, dia 24 de agosto, tendo como principais reivindicações, a seguinte pauta especifica:

1.Incorporar as Gratificações ao vencimento de forma a garantir remuneração integral do trabalho prestado pelo professor de mesmo nível da carreira, mesmo regime e mesma titulação;

2.Piso remuneratório de R$2.196,74 (valor do salário mínimo calculado pelo DIEESE para 1° de janeiro de 2011) para docente graduado em regime de trabalho semanal de 20h, na posição inicial da carreira;

3.Interstício de 5% entre os níveis da carreira;

4.Relação entre os regimes de trabalho que importe em acréscimo de 100% para regime de trabalho de 20h, integrando a remuneração unificada; 5.Acréscimos relativos à titulação de 75% para Doutorado/Livre Docente, 37,5% para Mestrado, 18% para especialização, 7,5% para aperfeiçoamento, integrando a remuneração unificada;

6.Paridade e Integralidade para os aposentados, reposicionamento de forma a resguardar a posição do docente em relação ao topo da carreira na data da aposentadoria e garantia dos direitos decorrentes da aplicação do artigo 192, da lei 8.112/90(RJU) aos docentes que se aposentaram até 1997 e seus pensionistas.

No entanto, após um processo de negociação extremamente tenso, em que o Governo utilizou como argumento a existência de uma crise econômica internacional para justificar uma forte limitação orçamentária do impacto financeiro do acordo a ser pactuado, foi apresentada no dia 19 de agosto, uma proposta a ser analisada pela categoria docente, consistindo dos seguintes pontos:

1.Incorporação ao Vencimento Básico (VB) das gratificações GEMAS / GEDBT para todos os docentes das carreiras de Magistério Superior (MS) e Ensino Básico, Técnico e Tecnológico (EBTT), respectivamente, a partir do mês de março de 2012, inclusive;

2.Reajuste emergencial de 4% sobre o novo VB, incorporadas as gratificações GEMAS / GEDBT, e também sobre a Retribuição de Titulação (RT), para todos os docentes das carreiras de MS e EBTT, a partir do mês de março de 2012, inclusive;

3.Publicação imediata de Portaria Interministerial instituindo Grupo de Trabalho (GT) constituído pelo MPOG, MEC e entidades representativas, para debater a reestruturação das carreiras de MS e EBTT, sendo a data de conclusão dos trabalhos 31 de maio de 2012;

4.Compromisso do Governo de que a reestruturação a ser acordada nesse GT promova a equiparação das tabelas remuneratórias das carreiras de MS e EBTT, que receberão tratamento equânime, com as tabelas remuneratórias atualizadas da carreira de Ciência e Tecnologia, com implantação dessa equiparação em janeiro de 2013;

5.Compromisso do Governo de discutir, nesse GT, as questões pendentes dos acordos assinados em 05 de dezembro de 2007 (MS) e 20 de março de 2008 (EBTT), inclusive as relativas às regulamentações pertinentes de medidas aí definidas;

6.A aceitação do reajuste emergencial de 4% se dá com o reconhecimento das partes de que essa recomposição está bastante aquém da inflação do período, não caracterizando ‘acordo de quitação’, ficando as entidades signatárias legitimadas para buscar em negociações posteriores a recomposição das perdas inflacionárias.

Os professores consideram que a proposta apresentada tem sérias limitações, ao não repor para a maioria dos docentes as perdas inflacionárias ocorridas no período. Ao mesmo tempo, apresenta avanços importantes, tais como a incorporação de gratificações, o tratamento equânime a ser dado ao MS e EBTT, e o comprometimento do Governo com um processo de reestruturação de carreiras que leve à equiparação remuneratória com a carreira de Ciência e Tecnologia, a vigorar em janeiro de 2013. As negociações visando a consecução desse último ponto serão iniciadas já em setembro próximo e serão concluídas até maio de 2012.

Finalmente, é importante esclarecer que no que, diz respeito às negociações em curso, esta é última proposta do Governo, cujos correspondentes recursos somente serão incorporados à proposta de Lei Orçamentária Anual (LOA), a ser enviada pelo Governo ao Congresso Nacional até 31 de agosto, caso haja acordo explícito de alguma das entidades participantes do processo de negociação.

Deixe seu Comentário

Leia Também

SAÚDE
Ministério vai buscar vacina de excelência, diz Pazuello no Congresso
CORONAVÍRUS
Acima dos 100 mil casos de Covid, SES volta a alertar sobre disparada de positivos
ECONOMIA
Produção industrial cresceu 1,1% em outubro, diz IBGE
ORDEM DO DIA
Vítimas de violência podem ser inclusas nos cadastros habitacionais