Menu
Busca quinta, 06 de agosto de 2020

Ramão de Deus apóia lutas dos agentes de saúde e endemia de Ponta Porã

25 agosto 2011 - 08h35
A Reunião aonteceu no plenário da Câmara de Ponta Porã

Divulgação (TP)

O Tribunal de Contas de Mato Grosso do Sul, através do relator, o conselheiro José Ricardo Pereira Cabral, analisando o Relatório de inspeção Especial correspondente a efetivação de servidores do município no cargo de Agente Comunitário de Saúde e Agente de Combate as endemias, constatou-se que o município de Ponta Porã não está cumprindo o Termo de Compromisso de Ajustamento de Conduta (TAC), uma vez que comprometeu-se em dispensar os admitidos irregularmente em seu quadro até 28 de fevereiro de 2007, encaminhar projeto de lei para criação dos cargos necessários para a substituição desses servidores e realizar concurso público.
Na tarde de terça-feira, dia 23, agentes de saúde e de endemias se reuniram no plenário da Câmara de Vereadores com a presença dos vereadores Ramão de Deus, Lourdes Monteiro(DEM), Marcos Belo Benitez(PSDB), Dulce Manosso(PSDB), Ludimar Novais(PPS) e Daniel Valdez –Puka(DEM), para debaterem o assunto em questão e na ocasião, Margarete Marques disse que todos estão preocupados com a ordem que o Prefeito Kayatt recebeu do TC para exonerar todos os agentes que foram efetivados em 2008 através da Lei 11.350, obedecendo todos os critérios tais como realização de processo seletivo e 81 agentes de saúde foram efetivados.
“ Quando recebemos essa notícia de que o prefeito terá que exonerar todos os agentes, foi um impacto, pois estávamos com nossa vida funcional resolvida”, afirmou Margarete Marques.

O secretário de Governo e Comunicação, Léo Derzi afirmou que o Tribunal de Contas esteve no ano de 2010 em Ponta Porã identificando esse erro. “ Nós efetivamos esses agentes baseados na emenda 51 que dava essa possibilidade, só que foi entrada uma ADIN dizendo que a emenda 51 é inconstitucional por contrariar o artigo 37 da Constituição Federal e que a Prefeitura deveria mandar embora todos os agentes, só que a prefeitura não tem esse interesse de mandar ninguém embora, portanto vamos recorrer e regularizar a situação perante o Tribunal e o prefeito Flávio Kayatt determinou que tomássemos as medidas cabíveis para resolver essa situação da melhor maneira possível, dentro da legalidade”, finalizou o secretário.

Na reunião realizada na Câmara, onde todos os vereadores presentes fizeram o uso da palavra a favor dos agentes e o presidente da Casa de Leis, vereador Ramão de Deus (DEM) informou aos presentes que estava colocando naquele momento a assessoria jurídica da Câmara a disposição dos agentes de saúde e endemias para lutarem e buscarem os seus direitos e dignidade, afinal, o trabalho é o que dignifica o homem e o serviço dos agentes é de suma importância para o sucesso da saúde de Ponta Porã.

Deixe seu Comentário

Leia Também

GERAL
Agentes prisionais tiveram saúde mental abalada na pandemia
Pesquisa mostra que tensão entre os presos é um dos motivos
SAÚDE
MP destina R$ 1,99 bilhão para viabilizar vacina contra covid-19
TRÊS LAGOAS
Polícia Militar Ambiental captura jiboia em condomínio
NOTÍCIAS
Paraguai prevê reabertura de lojas da fronteira em setembro
Ministro de Relações Exteriores diz que conversa está avançada com governo brasileiro