Menu
Busca quarta, 12 de agosto de 2020

Seleção abre nova 'era Ronaldinho' contra Gana

05 setembro 2011 - 08h05
Seleção abre nova 'era Ronaldinho' contra Gana unindo reverência e pressão por vitória

Uol

Depois de quase um ano de afastamento, Ronaldinho Gaúcho vestirá a camisa da seleção nesta segunda-feira pela 94ª vez em sua carreira, a primeira delas como jogador do Flamengo. Em campo no amistoso contra Gana em Londres, o ídolo começa a lidar com a aposta de Mano Menezes de que o remanescente do penta pode se transformar em uma liderança para a jovem geração de 2014.

Apesar de não ter participado dos insucessos recentes da seleção, Ronaldinho já entra no time dividindo a responsabilidade pela retomada das vitórias. Paralelamente, o jogador de 31 anos ainda terá que administrar toda a reverência que a maioria dos garotos do grupo não faz nenhum esforço para esconder.

"O Ronaldinho é fantástico. É maravilhoso estar ao lado dele. Sempre foi muito bom ver ele na seleção e no Barcelona", afirmou Neymar, parceiro de ataque do experiente meia-atacante no jogo desta segunda.

"Seria um sonho jogar com ele, é um grande ídolo. Foi campeão pela seleção e pelo Barcelona, foi o melhor do mundo. A gente veio junto no avião, mas acabou se desencontrando", disse o são-paulino Lucas, possível substituição de segundo tempo, escancarando a reverência a Ronaldinho.

Será o primeiro jogo do meia-atacante pela seleção desde a derrota para a Argentina por 1 a 0 em novembro de 2010, no Qatar, quando Ronaldinho ainda atuava pelo Milan. De lá para cá, o astro protagonizou uma novela na transação que culminou em sua ida à Gávea e, de volta ao seu país, conseguiu apresentar rendimento capaz de surpreender muita gente e de fazer a cabeça de Mano Menezes.

Na entrevista coletiva em que anunciou a convocação de Ronaldinho, o técnico da seleção afirmou estar convencido de que o remanescente do penta tem potencial para ser o líder da geração de Neymar e companhia no processo até a Copa de 2014. Na véspera do amistoso em Londres, o treinador reiterou a cobrança adicional ao camisa 10 do Fla.

"Ele foi convocado uma vez, contra a Argentina. Depois disso, teve a transferência para o Brasil. Vem demonstrando no Flamengo uma capacidade de ser um líder técnico, junto com a experiência. No momento que a seleção vive, com muitos jogadores jovens, precisamos disso", declarou o treinador.

Na esfera tática, Ronaldinho integrará nesta segunda uma nova tentativa de Mano para a sua seleção, através de um quarteto ofensivo. O flamenguista deve atuar deslocado pela esquerda do ataque, que também terá Neymar pela direita e Leandro Damião como a aposta da vez pelo centro. O meia-armador Paulo Henrique Ganso completa esta lista, em busca de sua primeira grande atuação vestindo a famosa camisa amarela.

O Brasil vem de derrota para a Alemanha em agosto, quando Mano usou como justificativa do revés a falta de treinos de preparação. Desta vez, a comissão técnica optou por sacrificar um jogo dentro da “data Fifa” e, assim, teve cinco dias para práticas de preparação.

Do outro lado do amistoso, Gana vem para o confronto do Brasil sem suas principais estrelas, preservadas pelo técnico Goran Stevanovic para a disputa das eliminatórias da Copa Africana, torneio em que a equipe derrotou a Suazilândia no último sábado. Kevin-Prince Boateng e Michael Essien não estarão no amistoso desta segunda no Craven Cottage, estádio do Fulham FC. Assim, nessas circunstâncias, os ganenses parecem adversários moldados para a ocasião, em que para a seleção de Mano apenas um resultado interessa.

Deixe seu Comentário

Leia Também

POLÍTICA
Congresso marca três reuniões para analisar todos vetos presidenciais
MATO GROSSO DO SUL
Governo divulga resultado preliminar de processo seletivo para área da saúde
GERAL
Anvisa quer reforçar medidas contra covid-19 em aeroportos e aeronaves
ANTÔNIO JOÃO
Polícia Civil prende foragido da justiça procurado pela prática de falsidade ideológica