Menu
Busca quarta, 20 de janeiro de 2021

Senado aprova projeto que permite pagamento de dívidas com bolsas de estudo

10 julho 2012 - 09h46Por Assessoria
O Senado aprovou o Projeto de Lei de Conversão 13/2012 que institui o Programa de Estímulo à Reestruturação e ao Fortalecimento das Instituições de Ensino Superior (PROIES) e permite as universidades particulares e fundações sem fins lucrativos negociarem suas dívidas com a União e quitar 90 % dos débitos através do fornecimento de bolsas de estudos a alunos carentes. Os 10 % restantes terão que ser pagos em dinheiro.



A proposta, transformada em projeto de lei a partir de uma medida provisória encaminha pelo Executivo ao Congresso, nasceu em Mato Grosso do Sul, com um pedido da direção da Funlec ( Fundação Lowtons de Educação e Cultura) ao senador Delcídio do Amaral (PT/MS) para que o parlamentar fizesse gestões junto ao governo, no sentido de buscar uma solução para as dívidas da instituição com a União, que chegam a R$ 30 milhões.



“Foi uma negociação que começou em maio de 2010, quando, pela primeira vez, fui procurado pelo dr. Mafuci Kadri e o professor Evandro Fonseca ( presidente e diretor da Funlec) , que me expuseram a difícil situação porque passa uma das mais respeitadas e importantes instituições de ensino do nosso estado. Coloquei meu gabinete à disposição e tivemos várias reuniões em Brasília com autoridades dos Ministérios da Educação e da Fazenda, até que em outubro daquele ano formalizamos ao governo uma proposta oficial para pagar os débitos da instituição com bolsas de estudo. Ao longo desse tempo acompanhamos com atenção esse processo . O MEC achou a proposta exeqüível e acabou transformando-a em Medida Provisória que, depois de convertida em Projeto de Lei no Congresso, acabou beneficiando todas as instituições de nível superior no Brasil”, explicou Delcídio.





Agradecimento – O presidente da Funlec faz questão de ressaltar o empenho de Delcídio para que a conversão das dividas em bolsas de estudo fosse aprovada.



“Pouca gente sabe, mas a nossa instituição estava a beira do precipício. Não tínhamos como pagar esses R$ 30 milhões, que se originaram de débitos do período 1995/2005. Desde o primeiro momento o senador mostrou ser solidário, abriu as portas de seu gabinete em Brasília, agiu pessoalmente e colocou sua assessoria para nos acompanhar em várias reuniões em Brasília. Agora obtivemos essa vitória da qual nunca vamos esquecer. A direção, os professores, funcionários e alunos da Funlec serão eternamente gratos a Delcídio”, disse Kadri.



De acordo com o Evandro Ferreira, a Funlec vai pagar 90 % de suas dívidas com a União oferecendo, nos próximos anos, 2 mil bolsas integrais a alunos carentes de Mato Grosso do Sul. A instituição é mantenedora de um sistema educacional composto por oito unidades escolares, que englobam desde o ensino básico até o superior.



País - De acordo com o governo, os débitos das fundações e universidades particulares com a União, incluindo o Imposto de Renda e o INSS, chegam a R$ 18 bilhões. O pagamento de 90 % das dívidas com bolsas de estudo deve beneficiar 500 mil estudantes carentes em todo o país. Para participar do PROIES, as instituições deverão apresentar um plano de recuperação econômica e a relação de bens que serão dados em garantia ao refinanciamento das dívidas, que poderão ser pagas em até 180 meses (15 anos). Uma vez aprovado o pedido de inclusão no programa, a universidade ou fundação deverá ofertar as bolsas integrais em sistema eletrônico de informações mantido pelo MEC a cada semestre do parcelamento.

Deixe seu Comentário

Leia Também

SAÚDE
Fiocruz admite possível atraso na produção da vacina
EMPREGO
Funtrab está com vagas com salários de R$ 3 mil nas áreas de farmácia e logística
TEMPO
Temperaturas sobem um pouco, mas instabilidades se mantém nesta quarta-feira
SAÚDE
Saúde alerta sobre ligações e SMS falsos de cadastro para vacinação