Menu
Busca segunda, 03 de agosto de 2020

Setor empresarial de MS reivindica assento em conselho da Sudeco

Setor empresarial de MS reivindica assento em conselho da Sudeco

19 setembro 2011 - 09h56Por CG News
Representantes do setor empresarial de Mato Grosso do Sul, por meio da Faems (Federação das associações empresariais de Mato Grosso do Sul), pleiteiam, em reunião com integrantes da bancada federal do Estado nesta manhã, uma cadeira no conselho deliberativo da Sudeco (Superintendência Regional do Centro-Oeste).

O encontro ocorre na sede da Associação Comercial, Centro de Campo Grande. De passagem pelo evento por conta de agenda em Rio Brilhante, o governador André Puccinelli (PMDB) foi o primeiro a falar na reunião e destacou que apoia a reivindicação.

Pucinelli apontou que 52% da renda de Mato Grosso do Sul é proveniente do comércio. “Quem produz tem o direito de participar da discussão e estabelecer metas”, pontuou.

A ocupação de um lugar no conselho pelo segmento é possível desde que haja aprovação dos estados do Centro Oeste integrantes da Sudeco, além do aval do Ministério das Cidades, pasta que a superintendência é vinculada.

A Faems reúne 58 associações comerciais no Estado, que representam cerca de 12 mil empresas.

O presidente da federação, Antônio Freire, justificou o pleito dizendo que a entidade conhece com maior propriedade a necessidade local, além de garantir que pode executar “bons projetos”.

Segundo ele, a falta de projetos bem elaborados muitas vezes prejudica o setor.

Na semana passada, empresários ligados a Faems fizeram uma peregrinação no gabinete de deputados e senadores de MS em Brasília (DF) para tratar do assunto.

Deixe seu Comentário

Leia Também

ECONOMIA
Caixa vai pagar auxílio emergencial a 805 mil novos beneficiários
NOTÍCIAS
CIEE registra aumento no número de vagas de estágio e aprendizagem
TRÁFICO DE DROGAS E DE MUNIÇÕES
Polícia apreende caminhão que seguia de MS para o RJ, com 3,9 toneladas de maconha, pistola e munições para fuzil
GERAL
Energia elétrica de inadimplentes pode ser cortada a partir de hoje