Menu
Busca terça, 29 de setembro de 2020

UFGD divulga nota negando acusações de fraude do Ministério Público Federal

UFGD divulga nota negando acusações de fraude do Ministério Público Federal

09 agosto 2011 - 10h04Por Dourados News
A Universidade Federal da Grande Dourados (UFGD) divulgou nota de esclarecimento a respeito da decisão do Ministério Público Federal de Mato Grosso do Sul (MPF/MS) que determinou a suspensão das matrículas de alunos por meio do sistema de mobilidade interna.

Segundo investigação do MPF, a universidade teria ofertado número de vagas inferior no vestibular 2010 para fazer uma “reserva de vagas a um grupo privilegiado de alunos, o que é totalmente inconstitucional”, conforme palavras do procurador da República Raphael Otávio Bueno Santos.

Através da nota, a universidade afirma que:

“[...] não ofertou menos vagas em nenhum dos seus Processos Seletivos Vestibular. Todas as vagas reservadas para o ingresso universal na Universidade foram destinadas para tal fim e publicadas nos respectivos Editais. [...] é um absurdo afirmar que houve fraude na Mobilidade Interna, sendo que ela ocorre inteiramente por solicitação do acadêmico, em que o estudante percorre três semestres dentro da Universidade, com aproveitamento de 80% dentro do Tempo de Formação Comum, adquirindo nível de formação de excelência se classificando por mérito para o Programa, ou seja, pelo seu índice de desenvolvimento, considerando a soma de suas notas e carga horária”.

A instituição esclarece ainda que todos os documentos referentes ao sistema de mobilidade interna são públicos, e estão disponíveis no site www.ufgd.edu.br

A universidade termina a nota de esclarecimento ressaltando que este é o segundo ano em que ocorre o processo de mobilidade interna na UFGD, e esse é um dos programas ofertados que tem como objetivo reduzir as taxas de evasão escolar.

Deixe seu Comentário

Leia Também

BRASIL
Justiça Federal manda soltar acusados de invadir celular de Moro
ECONOMIA
Antecipação do INSS poderá ser pedida sem limitação de distância
ECONOMIA
Déficit primário do Governo Central atinge R$ 96,1 bilhões em agosto
NOTÍCIAS
1ª Câmara Cível considera regular a devolução de bem à revendedora