Menu
Busca quarta, 23 de setembro de 2020

Vendas no varejo não têm variação em outubro, aponta IBGE

13 dezembro 2011 - 10h41Por G1
O volume de vendas do comércio varejista do país e a receita nominal não apresentaram variação em outubro, na comparação com o mês anterior, ambos dados com ajuste sazonal, segundo divulgou, nesta terça-feira (13), o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Em setembro, as vendas do comércio varejista haviam crescido 0,6%. De acordo com o IBGE, esse resultado interrompe uma sequência de 20 meses de resultados positivos da série da receita nominal.

Em relação a outubro do ano passado, o volume de vendas no varejo teve alta de 4,3% e a receita nominal, de 8,8%. No acumulado no ano, o aumento nas vendas é de 6,7% e da receita nominal, de 11,8%. Em 12 meses, o volume de vendas cresceu 7,3% e a receita, 12,4%.

No terceiro trimestre deste ano, a economia brasileira também não mostrou crescimento nem recuo, ficando estável na comparação com os três meses anteriores. O setor de serviços, que costumava puxar o PIB para cima, caiu 0,3% - influenciado, principalmente, pela queda dos desempenhos do comércio, outros serviços e serviços de informação.

Em outubro, quatro atividades apresentaram resultados positivos, com destaque para equipamentos e material para escritório, informática e comunicação (3,6%) e livros, jornais, revistas e papelaria (2,7%), e seis mostraram recuo, como artigos farmacêuticos, médicos, ortopédicos, de perfumaria e cosméticos (-1,8%) e veículos e motos, partes e peças (-2,8%).

Na comparação com o mesmo período do ano passado, das oito atividades pesquisadas, seis registraram aumento no volume de vendas. As maiores altas foram verificadas em equipamentos e materiais para escritório, informática e comunicação (28,8%) e móveis e eletrodomésticos (13,3%). Na contramão, combustíveis e lubrificantes (-0,8%) e tecidos, vestuário e calçados (-2,2%) tiveram queda nas venda.

Móveis e eletrodomésticos exerceu o maior impacto na formação da taxa do varejo (54%), segundo o IBGE. "Esse resultado é atribuído à manutenção do crédito, à redução de preços dos eletroeletrônicos, e à trajetória positiva da massa de rendimentos real habitual dos assalariados", disse o instituto, por meio de nota.

Nas regiões
De acordo com o IBGE, na comparação com outubro do ano anterior, o volume de vendas aumentou em 24 unidades da federação, com destaque para Tocantins (15,7%), Paraíba (10,3%) e Ceará (8,2%). No entanto, no mesmo período, houve recuos no Acre (-2,5%) e em Sergipe (-2,3%).

Já na comparação com setembro, 14 dos 27 estados mostraram aumento nas vendas. As principais influências positivas partiram de Mato Grosso do sul (3,7%), Distrito Federal (1,6%) e Minas Gerais (0,9%). Na contramão, registraram queda nas vendas os comércios de Roraima (-5,4%), Acre (-4,8%), Alagoas (-1,6%) e Rio de Janeiro (-1,2%).

Deixe seu Comentário

Leia Também

JUSTIÇA
STF mantém obrigação de locadoras terem cota de veículos adaptados
Norma era questionada pela Confederação Nacional dos Transportes
NOTÍCIAS
Criança sob guarda deve receber mesmo tratamento que filho em plano de saúde
MEIO AMBIENTE
Números de multas e de focos de queimadas no MS já superam 2019
POLÍTICA
Brasil é vítima de desinformação sobre meio ambiente, diz Bolsonaro