Menu
Busca quarta, 08 de julho de 2020

Vila Olímpica terá polícia comunitária

Vila Olímpica terá polícia comunitária

02 agosto 2011 - 20h34Por Assessoria
A Vila Olímpica Indígena será sede de um posto de policiamento comunitário equipado com 10 câmeras de vigilância, além de uma viatura, que vai cuidar da segurança nas aldeias Jaguapiru e Bororó, em Dourados. Também serão treinados policiais para a abordagem nas comunidades tradicionais. A informação foi repassada na tarde desta terça-feira (2) pela secretária de Segurança Pública do Ministério da Justiça, Regina Miki, ao coordenador da bancada sul-mato-grossense no Congresso, deputado Geraldo Resende (PMDB-MS).

O objetivo destas ações será enfrentar a questão da violência nas aldeias douradenses, principalmente ao consumo de álcool e drogas, assunto que vem sendo discutido pela Secretaria Geral da Presidência da Republica. “Por meio do trabalho do Geraldo, a discussão da segurança nas aldeias indígenas está sendo realizada na Presidência da República. A Presidente Dilma já solicitou as ações, o cronograma e o custo”, ressaltou Regina Miki.

Com este objetivo, estão sendo discutidas pelo governo federal, ainda, outras ações de combate à entrada e consumo de drogas nas aldeias Jaguapiru e Bororó. Para tanto, nos dias 11 e 12 de agosto a secretária Nacional Anti-Drogas, Paulina Duarte estará na Vila Olímpica Indígena, com representantes da FUNAI, da Secretaria de Saúde Indígena do Ministério da Saúde, do Governo do Estado e da Universidade Federal da Grande Dourados (UFGD).

As ações ligadas à segurança estão sendo articuladas pela assessora especial do Ministério da Justiça, Maria Augusta Assirati, em conjunto com a Presidência da Republica. O deputado Geraldo Resende também trabalha pela edificação de um Centro de Atenção Psicossocial para tratamento de usuários Álcool e Drogas (CAPS-AD) nas aldeias.
“Temos o compromisso do ministro da Saúde, Alexandre Padilha, para a implantação de um CAPS-AD. O tráfico de drogas e o abuso do consumo de bebidas alcoólicas é um caso de saúde pública e está vitimando muitos indígenas”, finalizou Geraldo.

Em relação à gestão da Vila Olímpica, Geraldo Resende afirma que ainda acredita na possibilidade do Estado e a Prefeitura de Dourados chegarem a um entendimento para administrar aquela estrutura. No entanto, caso isso não aconteça, está sendo construída uma alternativa de gestão pelo governo federal.

Segundo o parlamentar está sendo elaborado um projeto piloto interministerial. “Queremos uma gestão da Vila Olímpica interessada e eficaz, que signifique o fim da criminalidade, do uso de drogas e da violência”, afirmou, lembrando que a UFGD está elaborando um projeto de gestão que prevê administração geral e atividades desportivas, culturais e de lazer a partir de convênio entre a Universidade e o Ministério da Justiça ou Ministério do Esporte. A proposta é que o convênio seja renovado a cada quatro anos.

Força Nacional

Na mesma audiência a secretária Regina Miki informou ao deputado Geraldo Resende que o Governo Federal vai manter a base da Força Nacional instalada na Fazenda Itamarati, em Ponta Porã, por tempo indeterminado. Segundo o deputado, a secretária adiantou que após os 90 dias de permanência já garantidos, se houver solicitação do Estado, o prazo será prorrogado.

Deixe seu Comentário

Leia Também

ECONOMIA
Nascidos em março podem sacar auxílio emergencial do 3º lote
CAMPO GRANDE
Polícia Militar Ambiental captura jiboia de quase três metros nas obras do Aquário do Pantanal
TRAGÉDIA
Colisão entre van e carreta mata 3 pessoas e deixa uma ferida na MS-040
TEMPO
Chuva muda o clima em grande parte do Estado a partir desta quarta-feira