Menu
Busca sábado, 23 de janeiro de 2021

Acidentados podem ser enganados pelo "Golpe do DPVAT" em frente de hospitais em Dourados

Acidentados podem ser enganados pelo "Golpe do DPVAT" em frente de hospitais em Dourados

24 julho 2012 - 00h00
*Fonte: Dourados News


Mais um ingrediente está sendo acrescentado à receita do caos na saúde em Dourados. Não bastassem as denúncias feitas pelo Dourados News na semana passada sobre as dívidas nos Hospitais Univesitário e da Vida, empresas autoentituladas assessorias, que estão vendendo seus serviços em frente ao Hospital da Vida para intermediar o pagamento do DPVAT - Seguro de Danos Pessoais Causados por Veículos Automotores de Via Terrestre.

Até aí nada demais, a não ser pelo fato de que o seguro não precisa de intermediadores para seu recebimento. Na verdade, a indenização é paga obrigatoriamente a vítima do acidente. É aí que muitos destes acidentados no trânsito da cidade são lesionados pela segunda vez quando entram em contato com estas empresas. Só que dessa vez no bolso.

Uma das “corretoras” destas agências contou como funciona o esquema. Segundo ela, não existe outra razão para o aparecimento de tantas agências do tipo em Dourados a não ser o desconhecimento do direito que o acidentado tem. Recentemente, seis "parceiras" do DPVAT se instalaram em Dourados. Quatro delas na Rua Toshinobu Katayama, a mesma do Hospital da Vida.

Entenda o que é o DPVAT (com informações do site oficial)

O Seguro

O DPVAT foi criado em 1974 pela lei 6.194, mas foi sendo modificado com o passar dos anos pelas leis 8.441 de 1992 e 11.482 de 2007. Posteriormente a lei nº 11.945 de 2009 deu a forma atual de sua vigência.

É um seguro obrigatório que cobre três tipos de acidentes: aqueles que resultam em morte, invalidez permanente e despesas médico-hospitalares. São assegurados apenas os acidentes com “veículos automotores de via terrestre”, como explicado em seu site oficial.

Valores

Os valores disponibilizados pelo DPVAT também são tabelados: em caso de morte, são devidos R$ 13.500,00; invalidez permanente segue até esta quantia, disponibilizando os treze mil e quinhentos dependendo da gravidade do caso. Já com despesas médico-hospitalares, o valor cai consideravelmente: até R$2.700,00.

Beneficiário

Aquele que pode se beneficiar da indenização porque tem direito a recebê-la. No caso de Seguro DPVAT, o beneficiário da indenização por invalidez permanente e do reembolso de despesas médico-hospitalares é o próprio acidentado. Já nas indenizações por morte são beneficiários os familiares ou herdeiros legais do acidentado.

Golpes

O noticiário tem mostrado que o golpe é praticado por aproveitadores, em geral quando o acidentado e seus familiares estão fragilizados, devido ao acidente. Eles prometem liberar o seguro mais facilmente e somem com o dinheiro da indenização em todo ou em parte, após receberem autorizações assinadas (procurações) de suas vítimas. Alerte familiares, amigos e vizinhos. Antes de assinar papéis ou caso tenha alguma dúvida ou denúncia, ligue grátis 0800-0221204 (SAC DPVAT).

Deixe seu Comentário

Leia Também

ECONOMIA
Pendências com o Simples atingem quase dois terços das empresas
PONTA PORÃ
Após tentativa de homicídio, Polícia Militar apreende submetralhadora 9mm
SAÚDE
Boletim Covid-19 deste sábado registra óbitos em 12 municípios
REGIÃO
PMA autua dois em R$ 3 mil por abandonar cachorro em estrada