Menu
Busca quarta, 08 de julho de 2020
PARALISIA

Do quarto 554 para novo lar: criança com paralisia cerebral é adotada e levada de MS para outro estado

30 maio 2020 - 18h00Por G1 MS

Do hospital para o avião, com destino ao novo estado. Da fila de adoção para um novo lar, com mais cinco irmãos, quatro deles também adotivos. É desta forma que se inicia a jornada de uma criança, que, há um ano e meio, permaneceu internada com paralisia cerebral na Santa Casa, em Campo Grande.

Os pais, que preferem não serem identificados, disseram que será um amor gratuito e que ele terá toda a estrutura necessária. "Cada tentativa de sorriso é um presente pra gente. E a gente já ama ele demais", disseram.

A mobilização teve início durante a madrugada deste sábado (30), com a ajuda de profissionais e também o serviço de táxi aéreo que fez o transporte com uma Unidade de Terapia Intensiva (UTI) para evitar demais complicações de saúde.

Pouco tempo antes, foi assinado o termo de adoção dentro do hospital na presença da juíza da Vara da Infância. Para os órgãos responsáveis, os pais disseram que, há 23 anos, são "engajados como família apoiadora, acolhedora e adotiva".

"Nossos planos são muitos, mas principalmente proporcionar a ele uma vida em família com direito a muito colo, beijinhos, carinho, passeios, além do cuidado com suas necessidades e acima de tudo o nosso maior plano que é de estarmos juntos sempre”, comentou no hospital a mãe adotiva.

Já no momento da despedida no hospital, após exatos 554 dias de cuidados com o paciente, toda a equipe se emocionou, principalmente ao relembrar que foram eles a ensinarem os "primeiros passos ao menino". Alguns também falaram sobre o número do quarto onde ele internado, que também era o 554.

Deixe seu Comentário

Leia Também

CAMPO GRANDE
Polícia Militar Ambiental e Bombeiros resgatam anta de piscina em chácara próxima ao aeroporto Santa Maria pela terceira vez
NOTÍCIAS
Confissão de dívida é considerada prova de culpa em acidente de trânsito
MIRANDA
Pedreiro mata ‘filha’ de 2 meses ao descobrir que pai biológico seria o irmão, diz polícia
POLÍTICA
Maia quer votar projeto que regulamenta Fundeb na próxima semana