Menu
Busca sexta, 20 de setembro de 2019
CAMPO GRANDE

Murilo se reúne com entidades e debate retomada das obras do Aquário do Pantanal

06 junho 2019 - 11h00Por Dourados News

Nesta quarta-feira (5.6) foi realizada a segunda reunião técnica para retomada das obras do Centro de Pesquisas e Reabilitação da Ictiofauna Pantaneira – ‘Aquário do Pantanal’ que discutiu aspectos legais, técnicos e financeiros relacionados às próximas etapas de execução das obras.  

No encontro, alguns fornecedores detalharam aspectos técnicos para finalização de algumas frentes de trabalho prioritárias. Os esclarecimentos auxiliarão a equipe do aquário na elaboração dos projetos necessários para início da fase interna dos processos licitatórios das frentes de Construção Civil, Suporte à Vida e Instalações Elétricas.

“Chamamos alguns fornecedores para nos passar parâmetros técnicos que auxiliarão as contratações de serviços. Essas reuniões reforçam a transparência com a qual estamos conduzindo esse processo de retomada das obras”, ressaltou o vice-governador e secretário estadual de Infraestrutura (Seinfra), Murilo Zauith.

A reunião contou com a presença de representantes do Mistério Público Estadual (MPMS), Tribunal de Justiça (TJMS), Tribunal de Contas (TCE MS) e Ordem dos Advogados do Brasil (OAB).

Sobre o Aquário do Pantanal

Instalado no Parque das Nações Indígenas, principal cartão postal de Campo Grande, o centro de pesquisa contará com 32 tanques (24 internos e oito externos) da ictiofauna pantaneira (peixes e répteis), mais de 5,4 milhões de litros de água e um sistema de suporte à vida com condições reais do habitat. O objetivo é fazer do espaço um centro de referência em pesquisas e, para isso, o empreendimento também terá um museu interativo, biblioteca, auditório com capacidade para 250 pessoas, sala de exposição e laboratórios de pesquisa para estudantes, cientistas e pesquisadores.

 

Deixe seu Comentário

Leia Também

UAU!
Receita de Arancini, o bolinho frito de risoto
GERAL
Mega-Sena sorteia neste sábado prêmio de R$ 38 milhões
EQUILIBRIO FISCAL
Ministério da Educação é contrário à proposta do novo Fundeb
POLÍTICA
Bolsonaro pode abrir crise com Congresso se vetar novas regras eleitorais