Menu
Busca segunda, 20 de maio de 2019
RESSOCIALIZAÇÃO

Em Ponta Porã, detentas aprendem desde produção à comercialização de bijuterias

15 março 2019 - 15h20Por Da Redação

Reeducandas do Estabelecimento Penal Feminino de Ponta Porã (EPFPP) estão inseridas nas ações do projeto “Mãos que Fazem”, desenvolvido no presídio pela Prefeitura local, com o apoio da Agência Estadual de Administração do Sistema Penitenciário (Agepen).

Ao todo, 20 reeducandas foram capacitadas em confecção de bijuterias e vão participar da oficina de noções de empreendedorismo, que será realizada na próxima semana.

Com carga horária de 10 horas/aula, o curso de bijuterias foi ministrado nos dias 12 e 13 deste mês pela instrutora do município, Mariana Bestetti, e envolve técnicas básicas de como confeccionar brincos, pulseiras, colares, entre outros. “As peças feitas durante o curso serão demonstradas em um desfile que estamos organizando aqui na unidade prisional”, informa a diretora do EPFPP, Kátia Regina de Oliveira Ramos.

Já a oficina de empreendedorismo abordará questões como a predisposição para adoção de atitudes empreendedoras na condução da vida pessoal; ampliação da rede de contatos voltadas a facilitar o desenvolvimento e a aplicação de atitudes empreendedoras e, por fim, a elaboração de plano de ação de sonhos, identificando características que contribuam para as realizações pessoais e profissionais. As orientações também terão carga horária de 10 horas e serão repassadas pela instrutora Claudemira Assunção.

“Essas aulas visam motivar as internas a terem o seu próprio negócio e garantirem a renda após a prisão. Neste caso, além de aprenderem a fazer bijuterias, recebem orientações de como comercializá-las”, comenta a diretora do presídio, reforçando que a capacitação profissional é essencial no processo de reinserção social.

Entre miçangas, pedrinhas e cordões, a reeducanda Luana Carolina Soto, garante que descobriu nas técnicas de confeccionar bijuterias uma possibilidade de trabalho quando conquistar a liberdade. “Acredito que com o curso terei oportunidade de ganhar dinheiro quando eu sair aqui do presídio. Estou aprendendo muitas coisas, por isso, agradeço essa oportunidade”, afirma.

“Mãos que Fazem”

Realizado em trabalho conjunto entre as secretarias municipais de Assistência Social, Educação e Saúde de Ponta Porã, o “Mãos que Fazem” é coordenado pela primeira-dama do município, Vânia Peluffo e tem como foco atenderem mulheres carentes e que são mães.

Este é o segundo curso realizado na unidade prisional pelo projeto, que visa, principalmente, a possibilidade de geração de renda a esse público, através da qualificação profissional. Em outubro do ano passado, reeducandas aprenderam a confeccionar bonecas de pano.

“Para este ano, a intenção é que seja realizado pelo menos uma capacitação por mês aqui no presídio, e já temos programado um curso de confecção de sabão ecológico e outro de salgados”, finaliza a diretora.

Deixe seu Comentário

Leia Também

TRÁFICO
Morador em Rondônia é preso na BR-463 com mais de 600kg de maconha
EDUCAÇÃO
Em MS 95 mil estudantes se inscreveram para o Enem
PRESSÃO
Bolsonaro diz que sem reforma, faltará dinheiro para salários em 2024
RESSOCIALIZAÇÃO
Blocos de cimento fabricados em presídio vão garantir calçamento a bairros de Aquidauana