Menu
Busca segunda, 19 de agosto de 2019
JARDIM DA MOOCA

Moradores dividem espaço com mato alto, cobras e escorpiões

04 fevereiro 2019 - 15h00Por Luiz Guilherme

Mato alto, cobras, escorpiões e insegurança. Moradores do Jardim da Mooca, aqui em Ponta Porã, estão sofrendo com os terrenos baldios que servem de abrigo não apenas para animais peçonhentos, mas também para usuários de drogas. 

A reportagem do Conesul News conversou na semana passada com o presidente da associação de moradores, Marcos Torres, e segundo ele, há quase dois anos os moradores estão acionando o poder público para que seja feito alguma limpeza. 

“A associação voltou há mais ou menos dois anos e desde então, estamos em contato com a prefeitura de Ponta Porã para que olhe para nós, pois crianças já foram picadas por escorpiões e até uma cobra foi encontrada nesta semana, fora que esses terrenos baldios servem também de esconderijos para ladrões”, disse. 

Mas o problema não é apenas o mato, infelizmente muitos usam esses espaços para jogar lixo, como também alegou Marcos. 

“Muita gente usa os terrenos baldios do bairro para jogar entulho e demais lixos, então com a soma do mato alto e o lixo, fica quase impossível o agente de endemias entrar, pois não sabe o que vai ter no meio de tanta sujeira”, afirmou. 

O outro lado 

Na manhã desta segunda-feira (4/2), o Conesul News procurou a prefeitura de Ponta Porã, cobrando um posicionamento, e segundo a assessoria de comunicação em nota, a Lei Complementar nº. 071, de dezembro de 2010, o Código Urbanístico do município prevê que o proprietário tem o dever de manter o terreno limpo. 

Mas em caso de descumprimento, a prefeitura notifica o dono para que seja feito a limpeza, caso isso não ocorra, o próprio município limpa a área e envia uma multa junto ao IPTU. 

Ainda na nota enviada para o jornal, o problema não ocorre apenas no Mooca, mas em todas as regiões de Ponta Porã.

Seu bairro tem problemas como este? Tem alguma sugestão de pauta? Então nos ajude a fazer o jornal Conesul News. Envie sua sugestão de pauta pelo nosso Whatsapp 67 9 9973-5413. 

 

Deixe seu Comentário

Leia Também

TRIBUTO
Em MS, apenas 36% dos donos de negócios contribuem para previdência
EVENTO
Colóquio estadual para migrantes, apátridas e refugiados discute nova lei da migração
TRÂNSITO
Motorista morre após bater em poste
POLÍCIA
Homem alega reconciliação, mas não escapa de pena por bater em mulher