Menu
Busca sábado, 19 de janeiro de 2019
(67) 9.9973-5413
INSTITUCIONAL TOPO
MATO GROSSO DO SUL

Ponta Porã cresce 11,21% e fica entre as maiores cidades produtoras do agronegócio brasileiro

09 janeiro 2019 - 15h00Por Luiz Guilherme

O Mapa (Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento) divulgou uma lista com as 100 maiores cidades produtoras do agronegócio brasileiro, e Ponta Porã apesar de estar na 23ª colocação, faz parte do grupo do 12 municípios de MS que também aparecem no levantamento. 

A cidade que faz fronteira com o Paraguai, segundo os dados, cresceu 11,21% no setor, em seguida aparece Sidrolândia (10,62%), Dourados (28°), Costa Rica (13,95%), São Gabriel do Oeste (13,28%), Chapadão do Sul (3,75%), Caarapó (15,72%), Aral Moreira (8,75%) e Laguna Carapã (10,8%).

O levantamento mostra ainda que os 100 maiores municípios do agronegócio, quando isolados, correspondem a 7,2% do Produto Interno Bruto (PIB) do país e 27,5% do Valor Bruto da Produção (VBP Lavouras).

No Estado outros municípios também aparecem na lista. São eles: Maracaju que se destaca por ser a primeira a despontar no ranking geral, ocupando a 15ª posição entre os maiores produtores do país. 

Com crescimento de 12,81% no período de dois anos (2014 a 2016), o município produziu, em 2017, quase 2 milhões de toneladas de cana de açúcar e 1,2 milhão de tonelada de milho, conforme dados da Secretaria de Estado de Meio Ambiente, Desenvolvimento Econômico, Produção e Agricultura Familiar (Semagro). 

Outros municípios que se evidenciam na publicação são: Rio Brilhante (24° lugar), com expansão de 22,18%, e Nova Alvorada do Sul (82° lugar) com 25,61% de crescimento no período mencionado.

Segundo a matéria do Ministério da Agricultura, dados do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) referentes ao PIB Municipal de mais de 5 mil municípios mostram forte crescimento nas principais regiões agrícolas. 

Ao menos 82% dos municípios brasileiros, classificados como os maiores produtores do agronegócio, tiveram crescimento nominal superior à taxa anual do PIB do país que foi de 4,4% entre 2014 e 2016.

De acordo com o coordenador-geral de Estudos e Análises da Secretaria de Política Agrícola do Ministério da Agricultura, José Garcia Gasques, o levantamento combina as informações do PIB Municipal com as da Produção Agrícola Municipal (PAM), referentes às lavouras permanentes e temporárias em 2017. 

Segundo ele, em 2016, quando trabalho semelhante foi feito, foi possível detectar que as regiões produtoras agrícolas cresceram o dobro da média do país entre 2010 e 2013.

 

Deixe seu Comentário

Leia Também

CHAPADÃO DO SUL
Após partida de futebol, estudante de medicina morre em casa
GERAL
Brasil é 5º país em ranking de uso diário de celulares no mundo
CAMPO GRANDE
Homem tenta furtar veículo, mas acaba amarrado e linchado por moradores
EDUCAÇÃO
MEC lança programa para simular nota no Sisu