Menu
Busca quinta, 04 de junho de 2020
RURAL

Produtores buscam apoio do legislativo para alavancar cultivo de erva-mate em MS

05 novembro 2019 - 09h15Por Dourados News

Representantes do setor produtivo de erva-mate em Mato Grosso do Sul estiveram reunidos com a presidência da Casa de Leis nesta segunda-feira (4). O objetivo do encontro foi buscar apoio do Legislativo Estadual para adotar medidas que alavanquem a produção do insumo em MS, pois segundo os participantes, cerca de 99% da erva-mate consumida pelo sul-mato-grossense vêm de outros estados, como Santa Catarina, Paraná e Rio Grande do Sul.

Uma das intervenções solicitadas pelos representantes do setor foi a extensão do incentivo fiscal concedido para compra de matéria-prima. O benefício está previsto no Fundo de Apoio ao Desenvolvimento Econômico e de Equilíbrio Fiscal do Estado (Fadefe) e vale até 2020. “Hoje não contamos com erval, importamos toda a erva-mate e precisamos de incentivo para nossas plantações”, afirmou a produtora de erva mate Michele Brizuena.

“Existe um incentivo fiscal que acaba no final do ano que vem e eles estão se adiantando. Querem uma reunião com a Secretaria de Fazenda. Temos que tomar providências para que nossa indústria não acabe. Vamos fazer tratativas junto à Secretaria, para que o incentivo do Fadefe seja estendido até 2028”, explicou o presidente da Assembleia Legislativa, deputado Paulo Corrêa (PSDB).

O parlamentar destacou que além da preocupação econômica, a questão mexe com a identidade cultural do sul-mato-grossense. “Quem é que não senta e conversa em uma roda de tereré? Aqui no nosso Estado é uma coisa tradicional. Nós vamos perder o tradicional? Essa é uma indústria que culturalmente é do Estado e hoje está praticamente em extinção. Não podemos deixar isso acontecer, nós vamos achar uma forma fomentar a indústria da erva-mate novamente”, pontou Corrêa.

De acordo com o diretor do Sindicato dos Produtores de Erva-Mate de Mato Grosso do Sul (Sindimate-MS), Paulo Benites, a continuidade do incentivo fiscal é fundamental para fomentar a indústria da erva mate. “O Fadefe vem contribuindo conosco no sentido de podermos importar a matéria prima e industrializar. Isso nos dá, no jogo da concorrência com outros estados, uma igualdade”, destacou.

Os participantes também destacaram as vantagens do cultivo da erva-mate. Para o presidente Sindimate, Gustavo Uhde, a atividade pode gerar postos de trabalho em Mato Grosso do Sul. “Queremos trazer para MS essa geração de emprego na produção de erva-mate, na plantação e na colheita. Queremos manter a cultura do tereré na região”, defendeu. Outra vantagem levantada pelos participantes é que a erva pode ser plantada em área de reserva legal, por ser considerada uma planta nativa.

Deixe seu Comentário

Leia Também

ECONOMIA
Mais maquininhas receberão pagamentos feitos com auxílio emergencial
MS
Mais de 90% dos veículos foram arrematados no último leilão do Detran-MS
HABITAÇÃO
Empresas da construção civil podem assinar termo de adesão com a Agehab para comercialização de imóveis
JUSTIÇA
TSE autoriza convenções partidárias virtuais para eleição deste ano