Menu
Busca terça, 22 de setembro de 2020
CAMPANHA SETEMBRO 15 á 30/09/2020
MATO GROSSO DO SUL

SPPM lança cartilha digital sobre violência contra a mulher

12 agosto 2020 - 09h00Por Portal do MS

A Subsecretaria Estadual de Políticas Públicas para Mulheres (SPPM) lançou a cartilha “Violência contra a mulher não tem desculpa! Capacitando para o enfrentamento à violência”. O material está disponível online no site www.naosecale.ms.gov.br e qualquer pessoa pode acessar.

A iniciativa tem como objetivo divulgar informações sobre a campanha Agosto Lilás, Lei Maria da Penha – instituída em 2006 e que criou mecanismos para coibir a violência doméstica e familiar contra a mulher, as formas de combate e denúncia dessa violência, além dos serviços especializados de atendimento à mulher da segurança pública e do sistema de justiça no Mato Grosso do Sul.

De acordo com Luciana Azambuja, subsecretária Estadual de Políticas Públicas para Mulheres, para prevenir, enfrentar e combater a violência, é necessário conhecer e identificar as violências contra as mulheres. “A cartilha traz conteúdos didáticos e de fácil entendimento com informações e orientações que abordam desde a história da Lei Maria da Penha; os vários tipos de violência; o ciclo da violência e onde buscar atendimento especializado em todo o Estado. E na versão online que possibilita alcançar pessoas que nem imaginamos. Conhecimento é poder. E precisamos levar informações não só às vítimas de violência, mas à população em geral.”

A subsecretária reforça ainda que “em tempos de pandemia, estamos trabalhando na disseminação de informações de utilidade pública para mulheres, tendo em vista que vários serviços estão sendo disponibilizados de forma online”.

Deixe seu Comentário

Leia Também

POLÍTICA
Brasil é vítima de desinformação sobre meio ambiente, diz Bolsonaro
ANAURILÂNDIA
Infrator é autuado em R$ 6 mil por desmatamento ilegal de vegetação protegida para plantio de lavoura
PARAÍSO DAS ÁGUAS
Polícia Civil apreende 14kg de entorpecentes em hotel
NOTÍCIAS
Vendedores de imóvel devem restituir valor da entrada de contrato rescindido