Menu
Busca quarta, 30 de setembro de 2020

Câmara do Comércio é contra a forma como os guardas de trânsito abordam os turistas

Câmara do Comércio é contra a forma como os guardas de trânsito abordam os turistas

07 dezembro 2011 - 14h56
Redação (TP)

A matéria que circulou nos veículos de comunicação da fronteira, Brasil/Paraguai, Ponta Porã/Pedro Juan Caballero na manhã de hoje, quarta-feira (7), onde a mesma dizia que os guardas de trânsito da Municipalidade(prefeitura), estava perseguindo os turistas brasileiros foi motivo de muitos comentários, desmentidos e acusações durante todo o período da manhã de hoje.
O repórter da Rádio 91.5 FM Cerro Cora, Jacinto Calonga foi até a intendência para ouvir o prefeito José Carlos Azevedo, momento em que encontrou o turista José Divino, da cidade de Costa Rica, em visita a fronteira, estava em território paraguaio quando ao esperar sua esposa que fazia compras em lojas de Pedro Juan, veio a estacionar de forma errada sendo abordado por policiais de trânsito encaminhando o turista até a prefeitura para oficializar a multa.

“ Acredito que os policiais estão de parabéns; quando a pessoa está errada tem que pagar, mas fui muito bem tratado, não vejo como perseguição e sim estão fazendo o que a justiça manda”, ressaltou o turista.

Mas apesar da conforma com a multa que levou o turista José Divino,o que está acontecendo não é normal, pois se realmente os guardas de trânsito for multar quem para em fila dupla na cidade de Pedro Juan, tem que começar pelo veículos com placa paraguaia, uma vez que a nossa reportagem mesmo flagrou várias dessas situações no dia de hoje.

O prefeito de Pedro Juan Caballero, José Carlos Azevedo comentou sobre a denúncia de que teria dado ordem de uma fiscalização mais rigorosa em carros com placas do Brasil, dizendo que o caso não é bem assim como noticiado afirmando que apenas está existindo uma maior cobrança em relação as leis de trânsito naquele País, pois se cometer algo errado serão multados, caso contrário, não. “ Estamos apenas cumprindo a lei, tanto do lado paraguaio como do lado brasileiro. Os turistas são bem vindos mas devem, assim como qualquer cidadão, respeitar as leis de trânsito e se por algum motivo cometerem infração, são encaminhados até a prefeitura para providências”, afirmou Azevedo.


Nossa reportagem também entrou em contato com o empresário Kalil El Hage, diretor da Loja Studio Center e que foi citado na matéria como presidente da Câmara do Comércio de Pedro Juan, mas o mesmo informou que o seu mandado terminou a dois meses e passou o cargo para o recém eleito Pedro Alcides Zanchet Bondiman. Kali fez questão de deixar a sua opinião contraria ao que está sendo feito, uma vez que o trânsito nas ruas centrais de Pedro Juan é muito difícil devido ao grande numero de carros, motocicletas, bicicletas e pedestre que usam as ruas uma vez que as calçadas foram todas tomadas pelos ambulantes e não sobrou espaço para os pedestres.

Para Kali os turistas têm que ser prioridade numero um, e que não só os guardas de trânsito da municipalidade, mas a Policia Nacional tem que respeitar os mesmo. “Graças aos turistas conseguimos fazer nossas vendas, pagar nossos impostos e funcionários e manter as lojas abertas, se os turistas somem tudo fica mais difícil”.

Pedro Alcides Zanchet Bondiman, Presidente da Câmara dos Dirigentes Lojistas de Pedro Juan, disse que irá fazer uma visita ao prefeito de Pedro Juan, José Carlos Azevedo para averiguar a razão pela qual esses turistas foram multados, uma vez que o desejo é que os turistas venham até a fronteira e não sejam multados. “ Vamos verificar junto a municipalidade a possibilidade de ao invés de multar que seja realizada uma conscientização em relação as leis de trânsito do Paraguai, com orientação aos turistas”, comentou Bondiman, ressaltando inclusive que a vinda dos turistas é o ganha pão dos lojistas, portanto cada turista tem o seu valor.




Deixe seu Comentário

Leia Também

BRASIL
Justiça Federal manda soltar acusados de invadir celular de Moro
ECONOMIA
Antecipação do INSS poderá ser pedida sem limitação de distância
ECONOMIA
Déficit primário do Governo Central atinge R$ 96,1 bilhões em agosto
NOTÍCIAS
1ª Câmara Cível considera regular a devolução de bem à revendedora