Menu
Busca sábado, 24 de outubro de 2020
POLÍCIA

Colete a prova de balas e armas são achadas em casas de assassinos de policiais

20 fevereiro 2016 - 09h30Por Fonte: Pedro Juan Digital
Um colete a prova de balas, uma escopeta, um revólver e numerosas munições foram encontradas durante buscas na casa de Matías Benítez (65) e seu filho Pascual Benítez Miranda (33), na cidade de Moisés Bertoni, departamento de Caazapá, no Paraguai. Ambos são procurados pelo assassinato dos policiais Denis Aguiar y Jorge Luis López, ocorrido na quinta-feira no distrito de Yegros.

O procedimento foi na companhia Santa Cecilia do distrito de Moisés Bertoni, a 30 quilômetros da capital do sexto departamento.

Os agentes, a cargo do chefe de polícia, comissário principal Juan Fernández, intervieram na empresa familiar dos suspeitos, onde acharam um colete a prova de balas, uma escopeta calibre 12, um revólver calibre 38 e um par de caixas de projéteis para as mencionadas armas, entre outras evidências.

No entanto, o principal objetivo do contingente policial era capturar pai e filho, o que não aconteceu porque os dois aparentemente não saíram do distrito de Yegros, onde se esconderam depois de um deles disparar armas contra is policiais, por volta de 13h de quinta-feira.

O duplo homicídio foi registrado dentro do carro n° 2.400 da empresa de transporte La Yuteña, que vinha sendo seguido pelos policiais de Yuty até a agencia do município de Yegros.

Neste lugar, os suboficiais Aguiar e López barraram um carro particular e fizeram a abordagem. Eles se dirigiram até Matías e Pascual, que estavam sentados no banco traseiro.

No entanto, antes de chegarem junto aos suspeitos, os dois agentes foram atacados com uma pistola calibre 9 mm, que seria portada por Pascual Benítez Miranda.

Este último, junto com seu pai, imediatamente depois de derrubar a tiros os policiais, saíram através de uma rua lateral. Eles deixaram cair suas carteiras com documentos, o que facilitou a identificação.

Segundo os antecedentes do caso, os policiais supostamente iam com intenção de atrasar o paio e filho para interrogá-los sobre o atentando ao liberal Nelson Vera Villar, ex-intendente de Yuty, ocorrido no dia 1º de novembro do ano passado, quando o político sobreviveu a disparos contra seu carro.

Paralelamente, a montanha onde o Benitez fugiu depois de acabar com a vida dos policiais ainda está rodeada por uma forte força policial, enquanto se aguarda os suspeitos aparecerem para encontrar comida e assistência, disseram os participantes.

Deixe seu Comentário

Leia Também

SAÚDE
MS registra 479 novos casos de Covid-19 e faixa etária de 30 a 39 anos é a mais afetada
AQUIDAUANA
Polícia Militar Ambiental autua infrator em R$ 2,3 mil por incêndio em leiras de vegetação proveniente de limpeza
ECONOMIA
Decisão do STF evita perda na arrecadação de R$ 1,2 bilhão, diz Reinaldo Azambuja
DOURADOS
Homem invade casa, tenta estuprar jovem e é detido por populares