Menu
Busca segunda, 19 de agosto de 2019
FRONTEIRA

Considerada pela imprensa paraguaia como a maior carga de cocaína já apreendida, droga pode ser do Minotauro

07 fevereiro 2019 - 10h00Por Da redação

As mais de duas toneladas de cocaína apreendidas na tarde de ontem (6/2), em Yby Yaú, no Paraguai, distante 90km de Ponta Porã, podem ser do PCC (Primeiro Comando da Capital), e do narcotraficante brasileiro Sérgio de Arruda Quitiliano, Neto, o Minotauro, que está preso desde segunda-feira (4/2), no litoral de Santa Catarina. 

A informação é do Campo Grande News, em reportagem publicada na manhã desta quinta-feira (7/2). 

Segundo o site, um policial com atuação na Linha Internacional disse que todos os indícios apontam para o grupo liderado por Minotauro como dono da droga, o maior carregamento de cocaína apreendido em toda a história do Paraguai, segundo o jornal ABC Color.

Nesta quinta-feira, policiais paraguaios cumprem cinco mandados de busca em endereços ligados a Minotauro em Pedro Juan Caballero. Pelo menos 12 pessoas estão presas.

Como mostrado mais cedo aqui no Conesul News, os fardos de cocaína estavam em quatro caminhonetes, uma F250, uma F400 e duas da marca Toyota modelo Hilux, interceptadas na zona rural de Yby Yaú por agentes da Senad (Secretaria Nacional Antidrogas) do Paraguai, Ministério Público paraguaio e homens da FTC (Força Tarefa Conjunta), grupo de elite das Forças Armadas daquele país.

Os paraguaios Panflio Barrios, de 35 anos, Mário Ramón Ibañez Lopes, de 26, e Sandra Zunilda Coronel Diana, de 21, foram presos. Outros abandonaram as caminhonetes com a droga e correram para o mato.

A suspeita é de que a cocaína seria enviada para o Brasil, para abastecer os grandes centros consumidores durante o Carnaval.

Ainda conforme o site, o promotor de Justiça Hugo Volpe, chefe da força-tarefa contra o narcotráfico na fronteira, disse que a missão agora é descobrir como o carregamento entrou no país. No entanto, ele reluta em confirmar que a droga era da quadrilha de Minotauro – alvo de uma operação nesta quinta em Pedro Juan Caballero. 

“Até agora não há ligação com Minotauro”, afirmou Hugo Volpe.

A Senad ainda não identificou de onde a cocaína vem, mas esse tipo de entorpecente é costumeiramente trazido da Bolívia e do Peru até o Paraguai em pequenos aviões e depois enviado de carro para o lado brasileiro da fronteira. Galões com combustível de avião foram encontrados nas caminhonetes.

Deixe seu Comentário

Leia Também

TRIBUTO
Em MS, apenas 36% dos donos de negócios contribuem para previdência
EVENTO
Colóquio estadual para migrantes, apátridas e refugiados discute nova lei da migração
TRÂNSITO
Motorista morre após bater em poste
POLÍCIA
Homem alega reconciliação, mas não escapa de pena por bater em mulher