Menu
Busca sexta, 15 de janeiro de 2021

Dourados registra 37 estupros contra menores em 2012

18 maio 2012 - 10h02Por Dourados Agora
A cidade de Dourados registrou 37 casos de abuso sexual contra crianças este ano. Os dados, de janeiro até a primeira semana de maio, são de atendimentos do Centro de Referência Especializado de Assistência Social (Creas), que presta assistência às vítimas. Os 37 casos já são mais da metade do total registrado durante todo o ano passado e a maioria das vítimas têm entre 2 e 17 anos.

Hoje, Dia Nacional de Combate ao Abuso e à Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes, entidades protetoras como o Comitê Municipal de Enfrentamento da Violência e de Defesa dos Direitos de Crianças e Adolescentes, além do Creas e Sest-Senat, fazem atividades hoje e amanhã. O objetivo é incentivar as denúncias.

De acordo com a coordenadora do Comsex, Lindomar Pacheco, é importante que a população se conscientize de que qualquer suspeita de abuso sexual é preciso ser denunciada. As denúncias são investigadas e podem ajudar a salvar até a vida de uma criança.

A entidade é responsável por criar políticas públicas para combater o crime. “A população precisa ser informada de que dois são os tipos de crimes. O primeiro, a exploração sexual envolve valor comercial em que alguém lucra com o estupro do menor. O abuso sexual ocorre no ato de conjunção carnal ou qualquer ato libidinoso com crianças e adolescentes com idade abaixo de 14 anos. A pena ao agressor é de até 15 anos de prisão.

De acordo com a coordenadora do Creas, a pedagoga Marísia de Paula Brandão Martins, a maioria dos agressores são pessoas próximas às vítimas. “São parentes ou vizinhos, que atraíram as crianças com doação de dinheiro, doces, brinquedos e até alimentos”, diz, lembrando que nos últimos cinco anos, em Dourados, a criança mais nova vítima de violência sexual tinha 2 anos quando foi abusada. O agressor é o próprio pai.

A pedagoga alerta para que as mães prestem atenção no corpo e comportamento dos filhos. “Sinais ou marcas principalmente nos órgãos genitais são fortes indícios. Outro sinal de que a criança pode estar sendo abusada é o comportamento retraído ou assustado por parte da criança diante de um toque da mãe ou pessoa próxima. Muitas mães precisam trabalhar e deixam os filhos com pessoas próximas, o que acaba viabilizando estes casos”, destaca.

O Creas oferece em Dourados todo o atendimento às vítimas e familiares de crianças e adolescentes que sofreram violência. São psicólogos, advogados entre outros profissionais disponibilizados o tempo que for necessário para reintegrar a criança à sociedade e protege-la de agressões.

O gerente do Sest Senat, Lucílio Vasconcelos, diz que este ano a campanha contra a violência Sexual também vai contar com taxistas. “Eles tem papel fundamental na denúncia. Ao detectar que uma pessoa está transportando uma criança para locais impróprios como motéis, eles podem acionar os organismos de proteção”, destaca, observando que hoje o grupo fará panfletagem a partir das 18h30 no posto da base com a finalidade de contar com o apoio dos caminhoneiros nesta luta contra a exploração sexual.

Amanhã, o grupo fará abordagens na Praça Antônio João para distribuir materiais explicativos com os números de disque denúncia. Em Dourados, os contatos por telefone com o Conselho Tutelar são:(67) 8468 6145 e 0800 647 7142. O telefone do Ministério Público Estadual para denúncia é: 8478 2072. Outra opção é do disque 100, um serviço nacional que mobiliza todas as entidades do município para averiguarem as denúncias.

Deixe seu Comentário

Leia Também

BR 158
PMA autua empresa mato-grossense por derramamento de cerca de 22 mil litros de combustível
ECONOMIA
China contribuiu com mais da metade do superávit comercial do Brasil
RIO BRILHANTE
Polícia Civil prende suspeitos de tráfico de drogas que faziam parte organização criminosa
NOTÍCIAS
Negada indenização a comprador de veículo que não comprovou defeito em motor