Menu
Busca sábado, 26 de setembro de 2020

Inédito no país, curso de Teologia proporciona conhecimento e elevação espiritual a detentos da Capital

22 dezembro 2015 - 08h30Por Agepen
Reeducandos do Instituto Penal de Campo Grande (IPCG) e do Estabelecimento Penal Jair Ferreira de Carvalho (Segurança Máxima da Capital) estão sendo capacitados no curso Livre de Teologia, oferecido pela Faculdade de Treinamento Ministerial (FTM). A iniciativa faz parte de uma parceria entre a Agência Estadual de Administração do Sistema Penitenciário (Agepen) e a Igreja Batista.

Totalmente gratuito, o curso tem duração de dois anos e é dividido em Teologia Fundamental e Avançada, sendo as aulas transmitidas pela televisão, com a presença de um monitor, que é teólogo formado. A qualificação conta atualmente com a participação de 74 internos do IPCG e de 40 da Máxima.

Segundo o representante da FTM em Campo Grande, pastor Dinart José Souza, o curso tem validade como graduação de nível superior, pois é certificado pela Cesumar. “O aluno terá três anos para comprovar a conclusão do ensino médio, ir à uma faculdade que temos convênio aqui em Campo Grande e certificar o ensino superior, com todas as garantias, até mesmo para prestar concurso”, informa.

O diretor-presidente da Agepen, Ailton Stropa Garcia, destaca que a capacitação está contribuindo para o trabalho de assistência religiosa e educativo, pilares adotados pela instituição na busca pela ressocialização dos custodiados. “Esse curso une religião e educação e proporciona transformação de dentro para fora. Acredito que essas pessoas que estão sendo capacitadas também serão ‘agentes de transformação’ dos demais”, afirma.

Preso há 24 anos, entre saídas para o semiaberto e retorno ao fechado, o reeducando Rogério Oliveira Figueira, 38 anos, garante que encontrou na religião o caminho para uma vida diferente e no curso uma grande oportunidade de se capacitar. “Aceitei Jesus há cinco anos e hoje me dedico a levar a palavra de Deus aos meus companheiros aqui no presídio, sou responsável por duas celas evangélicas, e acredito que o que estou aprendendo me fará crescer na graça e conhecimento de Deus”, afirma, revelando que já tem planos de atuar na missão religiosa quando deixar a prisão, com trabalhos voltados para dependentes químicos, ex-presidiários e prostitutas.

De acordo com o pastor Marcos Ricci, responsável pela condução do curso nos presídios, a capacitação é inédita no país, já que o Mato Grosso do Sul foi o primeiro estado a conseguir pôr em prática a capacitação. “Iniciamos com uma turma no Instituto Penal em abril e no mês passado na Máxima. Nossa intenção é possibilitarmos o acesso de mais internos dessas unidades e levarmos o curso também para o Centro Penal da Gameleira”, informa.

Deixe seu Comentário

Leia Também

CRISE AMBIENTAL
Papa cita na ONU 'perigosa situação da Amazônia e dos indígenas'
INFORME PUBLICITÁRIO
Universidad Columbia del Paraguay, filial de Pedro Juan, abre matrículas para Medicina
TAQUARUSSU
Ambiental autua quatro em R$ 8,4 mil e apreende 139 quilos de pescado
INCÊNDIOS
Governo federal libera mais R$ 1,3 milhão para MS combater incêndios no Pantanal