Menu
Busca terça, 19 de janeiro de 2021

Lavador de carros decapita e oculta corpo de ex-namorada

16 agosto 2012 - 16h00
A Gazetanews

A Polícia Civil prendeu, nessa quarta-feira (15), um lavador de carros de 26 anos, acusado de assassinar a facadas e decapitar a ex-namorada em Mundo Novo, extremo sul do Estado.

De acordo com a polícia, inconformado com o fim, a cerda de um mês, de um relacionamento que durou aproximadamente dois anos, Genivaldo Rodrigues Mancin, que trabalhava em um lava-jato da cidade, em Mundo Novo, teria procurado a ex-namorada, Banesa Aparecida Scarpa Roberto, também de 26 anos, na noite de terça-feira, dia 14 de agosto.

Segundo a polícia, após uma nova discussão entre o “ex-casal”, movido por ciúmes da jovem, Genivaldo teria se apoderado de uma faca e assassinado Banesa com várias facadas pelo corpo.

Após cometer o assassinato, Genivaldo teria cometido requintes de crueldade, decapitando e, segundo as informações, cortando as orelhas da mulher, posteriormente tentado se livrar do corpo e da cabeça, escondendo sob entulhos e montes de capim, em um terreno baldio no centro da cidade.

Ao ser preso pelo SIG (Serviço de Investigação Geral) da Delegacia de Polícia Civil de Mundo Novo, Genivaldo Rodrigues Mancin, que segundo a polícia não tinha passagens, confessou o crime e teria detalhado a ação criminosa, inclusive indicando aos policiais onde havia escondido o corpo da ex-namorada.

De acordo com a Polícia Civil de Mundo Novo, diante da confissão e da crueldade empregada para cometer o crime, o lavador de carros foi autuado em flagrante pelo crime de homicídio qualificado por motivo fútil e ocultação de cadáver e permanece preso na cadeia pública de Mundo Novo, que funciona anexa a Delegacia de Polícia Civil local, a disposição da Justiça.

Deixe seu Comentário

Leia Também

SAÚDE
Saúde alerta sobre ligações e SMS falsos de cadastro para vacinação
IMUNIZAÇÃO
Primeiros imunizados contra Covid-19 relatam emoção e encorajam população
REGIÃO
Administrador de empresas é autuado por desmatamento ilegal
SAÚDE
Distanciamento continua fundamental, mesmo com vacinação, diz Opas