Menu
Busca terça, 26 de março de 2019
(67) 9.9973-5413
PI SANESUL
CAPITAL

Mãe de bebê que tomou vodca deixou outro filho com vizinho por 45 dias

10 janeiro 2019 - 16h15Por Da redação

O Campo Grande News divulgou hoje uma reportagem relatando que a mãe do bebê de dois anos que ingeriu vodca e da menina de 11, que fumou maconha, na noite de domingo (6/1), na capital, enquanto ela saiu para beber com uma amiga, já havia perdido a guarda de um dos filhos por abandoná-lo na casa de um vizinho. O caso aconteceu há 5 anos. 

Em 2014, conforme a delegada Anne Karine, da Depca (Delegacia Especializada de Proteção à Criança e ao Adolescente), a mulher de 32 anos, à época com quatro filhos, deixou um deles, de 11 anos, na casa de um vizinho dizendo que já voltaria.

No entanto, conforme a delegada, a mulher desapareceu. Após 45 dias sem ter notícia da mãe da criança, o vizinho acionou a polícia e o menino foi levado para um abrigo. Segundo a polícia, a mãe não tem problemas com o alcoolismo, nem com drogas, mas é negligente e durante depoimento não demonstrou arrependimento. “Em nenhum momento ela mostrou preocupação ou arrependimento”, diz a delegada.

A mulher tem cinco filhos e já perdeu a guarda de um deles. Outros dois foram retirados dela e estão em um abrigo da cidade. Na terça-feira (8/1), o bebê e a menina de 11 anos, que ainda estavam sob a guarda da mãe, foram levados pelo Conselho Tutelar após mais um caso de abandono e maus tratos. Ela saiu para beber e o bebê ficou na companhia da irmã de 11 anos, que fuma maconha, e de mais três adolescentes.

“Os adolescentes relataram que o bebê não inalou fumaça de maconha, mas fumou cigarro. Eles não tiraram o cigarro do menino porque acharam engraçado. A delegada acredita que o bebê tomou a vodca com energético porque estava como fome, pois havia passado o dia sem comer. Os adolescentes também serão responsabilizados pelo fato.

A mãe não trabalha e vive com benefício do Loas (Lei Orgânica da Assistência Social) do bebê, que tem paralisia cerebral. Por envolver crianças. O nome da mulher é preservado por imposição do ECA (Estatuto da Criança e do Adolescente). A mulher foi indiciada por maus-tratos (com aumento de pena por envolver menores de 14 anos) e abandono de incapaz. Ela disse à polícia, que não tem controle sobre a filha de 11 anos. Já a menina confirmou que consome bebida alcoólica, vai para baile funk e fuma maconha com o consentimento da mãe. 

Deixe seu Comentário

Leia Também

TELEVISÃO
Globo sentencia destino do Bem Estar em novo contrato de Michelle Loreto
ECONOMIA
Produção industrial de Mato Grosso do Sul permanece estável
EM MS
Procon realiza pesquisa e detecta preços iguais na venda de GNV no cartão ou em dinheiro
MATO GROSSO DO SUL
Escolagov forma novas turmas em “SQL para iniciantes” e “Redação Oficial”