Menu
Busca segunda, 18 de novembro de 2019
CELULAR

Mulher tem celular de R$ 4 mil furtado enquanto toma água de coco e retoma aparelho ao flagrar idoso golpista

26 outubro 2019 - 16h00Por G1 MS

Uma mulher de 43 anos teve o celular furtado enquanto tomava água de coco nos altos da avenida Afonso Pena, em Campo Grande, na madrugada deste sábado (26). Ela acionou socorro e, no momento da chegada da guarnição da Polícia Militar (PM), recebeu uma ligação da filha dela no celular do namorado, dizendo que um homem, aparentemente com sotaque espanhol, tinha acabado de ligar dizendo que o aparelho estava com ele e exigia R$ 50 para devolvê-lo.

Segundo a vítima, o celular, avaliado em R$ 4 mil, estava ligado e com o rastreador apontando para um endereço na praça Aquidauana. Os policiais foram ao local e encontraram uma pessoa com sotaque semelhante e ligaram para a vítima, informando a vestimenta. A vítima foi ao local e confirmou ser ele a pessoa quem a abordou. Na ocasião, ele começou a conversar, falou sobre religião, pediu ajuda e se aproveitou do momento de distração da mulher para pegar o aparelho.

Houve a abordagem e os policiais acharam o aparelho no bolso de calça do homem, um idoso de 65 anos. No primeiro momento, ele se identificou como Roberto Rodrigues Olaya, mostrando uma carteira de trabalho com foto. Já na delegacia, o suspeito disse que o nome dele seria outro, mostrando uma célula de identidade.

Os policiais então fizeram uma vistoria na mochila dele e acharam vários documentos em nome de outra pessoa, além de um pedido de refúgio junto à Polícia Federal, na qual ele alegava ser venezuelano. Na ocasião, os policiais disseram que o homem ficou muito nervoso e por isso foi algemado.

O caso foi registrado na Delegacia de Pronto Atendimento Comunitário (Depac) Centro como furto e uso de documento falso.

 

Deixe seu Comentário

Leia Também

POLÍTICA
Inclusão no mercado de trabalho é tema urgente para 46% dos negros
POLÍCIA
Homem que saiu de MS com cocaína e crack acaba preso no PR
JUSTIÇA
TJ decide que vínculo socioafetivo deve prevalecer em relação à verdade biológica
NOVA ANDRADINA
Mercadoria do Paraguai é apreendida no distrito de Nova Casa Verde