Menu
Busca terça, 01 de dezembro de 2020

PM prorroga prazo para concluir investigação sobre policiais presos

PM prorroga prazo para concluir investigação sobre policiais presos

01 dezembro 2011 - 13h10
Campograndenews


De acordo com o coronel Carlos Alberto David dos Santos, comandante da Polícia Militar, não foi possível concluir as investigações sobre os policiais presos durante as operações Holambra e Fumus Malus, deflagradas em outubro, no prazo de 30 dias.

O atraso nas ações que definirão quais policiais serão exonerados dos cargos aconteceu porque há muitos matérias em vídeo e a análise dessas gravações demandam mais tempo. O coronel afirma que a Polícia espera concluir os inquéritos administrativos o mais rápido possível.

Policiais soltos - Três policiais presos na operação Alvorada Voraz, colaboraram com as investigações e receberam liberdade provisória.

Mesmo tendo recebido ameaças de morte antes e depois das operações, o comandante da PM relatou ao Campo Grande News que continua com escolta policial e que cuidou “da segurança da família dele”, que também foram ameaçados.

Operações- As investigações começaram em outubro de 2010, pela Agência Central de Inteligência da PM, segundo o comando da Polícia Militar, depois de denúncias contra militares que estariam facilitando a passagem de contrabando. Foram cumpridos 16 mandados de prisão contra policiais, 12 foram cumpridos: três em Naviraí, dois em Itaquiraí, um em Sete Quedas, um em Mundo Novo, um em Iguatemi e quatro Campo Grande.

Um primeiro grupo envolvido com o esquema já havia sido preso na dois dias antes, na operação Holambra. Foram 21 presos, sendo oito policiais militares. Todos os militares vão responder a processo disciplinar e podem ser expulsos da corporação.

A operação, foi realizada pela PM e Gaeco (Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado), e coordenada pelo GNCOC (Grupo Nacional de Combate às Organizações Criminosas), Promotor de Justiça Francisco José Lins do Rego Santos.

De acordo com o MPE (Ministério Público Estadual), a operação aconteceu em Mato Grosso do Sul e mais sete Estados, com objetivo de combater a corrupção policial e outros crimes correlatos, ligados à falsificação e ao contrabando de cigarros.

Deixe seu Comentário

Leia Também

ARAL MOREIRA
Homem é encontrado carbonizado e com marcas de tiros no corpo
Motocicleta com placas do Paraguai também foi queimada
IGUATEMI
Homem morre vítima de tiro acidental na cabeça durante pescaria
Jair Ruzzene, de 56 anos, se apoiou em cano de espingarda quando arma disparou e o atingiu
MARACAJU
Veículo com quase meia tonelada de maconha foi apreendido pelo DOF
ECONOMIA
Caixa retorna valores não movimentados do saque emergencial do FGTS