Menu
Busca sábado, 23 de fevereiro de 2019
(67) 9.9973-5413
BANNER CASSEMS
BRASIL

Presos por pedofilia pagam fiança e são liberados 24 horas após prisão

07 fevereiro 2019 - 15h45Por Da redação

Os quatro presos em flagrante durante a Operação Inocência Violada, deflagrada pela PF (Polícia Federal) ontem (6/2), já estão nas ruas. Todos eles pagaram fiança e foram liberados. A informação é do Campo Grande News. 

Como mostrado ontem pelo Conesul News, os presos foram flagrados com material (fotos e vídeos) contendo cenas de estupros de crianças e adolescentes durante buscas nos endereços alvos da força-tarefa.

Segundo o site, a PF não informou qual o valor determinado pelos delegados envolvidos na ação para cada um dos suspeitos. Os investigados foram ouvidos ontem mesmo e saíram assim que depositaram o valor arbitrado.

Um dos presos é um militar aposentado da Marinha do Brasil, de 65 anos, que mora em Campo Grande. Também na Capital, foram presos um assistente serviços gerais, de 29 anos, um comerciante de 40 anos.

Já em Naviraí, um servidor público, de 49 anos, foi alvo da ação.

A operação

De acordo com a PF,  o objetivo da operação Inocência Violada é combater o armazenamento e compartilhamento de arquivos que contêm, segundo a PF, cenas de “sexo explícito” com crianças e adolescentes.

Equipes da PF foram às ruas cinco cidades de Mato Grosso do Sul em operação contra rede de distribuição de arquivos contendo pornografia envolvendo crianças e adolescentes. Equipes cumprem 11 mandados de busca e apreensão – 7 em Campo Grande, 1 em Chapadão do Sul, 1 em Jardim, 1 em Miranda e 1 em Naviraí.

A força-tarefa é resultado de apuração que começou em abril de 2018, a partir de monitoramento pela internet. Os investigadores identificaram pessoas que estariam acessando arquivos com as imagens de pornografia infantil.

A pena prevista no Código Penal para quem armazena este conteúdo é de 1 a 4 anos de reclusão. Compartilhar o material tem punição maior – de 3 a 6 anos de prisão. Já “produzir, dirigir, fotografar, filmar ou registrar, por qualquer meio, cena de sexo explícito ou pornográfica, envolvendo criança ou adolescente” tem pena de 4 a 8 anos.

Deixe seu Comentário

Leia Também

PEDRO JUAN
Policial é preso com carro fruto de assalto em Ponta Porã
CLIMA
Fim de semana típico de Verão, sol durante o dia, chuva no final da tarde
SEGURANÇA
Senado paraguaio autoriza tropas americanas no país
ECONOMIA
Exportações de carne de tilápia crescem 236% e MS assume liderança do comércio exterior