Menu
Busca segunda, 17 de fevereiro de 2020
MS

Réu por matar major em Bonito pede mudança de cidade para julgamento, mas justiça de MS nega

Crime ocorreu há exatos 10 meses e, conforme decisão do desembargador Luiz Claudio Bonassini da Silva, o júri foi mantido para o dia 3 de março deste ano.

14 fevereiro 2020 - 12h00Por G1MS

A Justiça de Mato Grosso do Sul negou pedido de desaforamento do homem acusado de assassinar major aposentado a facadas na porta de hotel em Bonito, a 278 km de Campo Grande. O crime ocorreu há exatos 10 meses e, conforme decisão do desembargador Luiz Claudio Bonassini da Silva, o júri foi mantido para o dia 3 de março deste ano.

"Houve a tentativa de retirar o julgamento da cidade de Bonito, alegando que o crime foi de alta repercussão e todo mundo estaria contra o réu. No entanto, o pedido foi indeferido e a data do júri está mantida. Foi um caso bárbaro e acredito que, em nenhum lugar que ele [réu] esteja, o resultado será diferente de uma condenação", afirmou ao G1 o advogado da acusação, José Roberto Rodrigues da Rosa.

Já por parte da defesa do acusado, o advogado Lucas Arguelho Rocha reitera que a notícia da morte Paulo Settervall, de 57 anos, foi amplamente divulgada por pessoas que atuam em uma vara criminal do município, inclusive usando o Facebook para falar sobre os fatos, o que gerou "curtidas, comentários e compartilhamentos" de pessoas que participarão do júri e as teria "contaminado".

"O pedido foi negado em caráter liminar, mas, ainda terá o julgamento do mérito que será analisado pela 1ª seção criminal. Nós vamos requerer a suspensão ou adiamento do júri até que decida o mérito porque tem fortes substratos de parcialidade dos jurados e sociedade local que fora contaminada por notícias e ampla divulgação do caso. Nas postagens, jurados da cidade comentaram, compartilharam e inclusive o assessor jurídico comentou e uma jurada reagiu com tristeza o indignação dele. Acredito que houve grande prejuízo na defesa do acusado e vamos até instâncias superiores se, eventualmente, o tribunal negar", alegou Arguelho.

Ao analisar o pedido, o relator ressaltou que tais argumentos não justificam a suspensão do julgamento, principalmente porque ainda não se sabe quais pessoas farão parte do Conselho de Sentença, já que não houve o respectivo sorteio. Por fim, o desembargador manteve a data e disse que o "julgamento ocorrerá de maneira parcial".

Assassino foi preso em casa abandonada

Dois dias após o crime, o suspeito foi encontrado escondido em uma casa abandonada. O crime ocorreu há dois dias e o homem foi flagrado por volta das 3h (de MS) do dia 16 de abril de 2019. No outro dia, ele passou por audiência de custódia e teve a prisão preventiva decretada.

Na ocasião, a vítima passava férias com a família, quando foi atingida por um golpe pelo suspeito na porta do hotel, localizado na rua Luiz da Costa Leite. Testemunhas repassaram o nome do possível suspeito e os investigadores iniciaram as diligências. Uma das buscas ocorreu na casa do suspeito, quando a polícia encontrou uma fogueira ainda acesa, com as roupas utilizadas no crime.

Já os familiares do suspeito ressaltaram que ele estava muito nervoso e pediu ajuda de conhecidos para fugir. A polícia então concentrou os esforços em todas as saídas da cidade, quando ele foi encontrado no imóvel após 30 horas de trabalho ininterrupto.

O bandido possui antecedentes pelos crimes de ameaça, desacato e tráfico de drogas, sendo preso em 2010 pelo último crime. O caso foi registrado como homicídio qualificado por motivo fútil.

Deixe seu Comentário

Leia Também

PREMIAÇÃO
Mega-Sena acumula e prêmio pode chegar a R$ 170 milhões
INTERNACIONAL
Número de mortos pelo novo coronavírus na China chega a 1,6 mil
CORONEL PONCIANO
Homem é preso depois de tentar se livrar de sacola com 5kg de maconha
REGIÃO
Contratado via ‘WhatsApp’, paulista acaba preso com maconha em MS