Menu
Busca terça, 04 de agosto de 2020

Três envolvidos em golpe da compra de carro 0km são presos

Três envolvidos em golpe da compra de carro 0km são presos

23 agosto 2011 - 20h58Por CG News
Estão presos mais três envolvidos no golpe da compra de carro zero quilômetro em Campo Grande. Estiver Adriano dos Santos, 26 anos, Douglaciel Areco da Silva, 18 anos, e Wellington Nunes de Andrade, 29 anos, foram presos na semana passada pelo Garras. As prisões foram divulgadas ontem.

De acordo com o Garras, os três integram a quadrilha liderada por Ademar Pereira Mariano, 37 anos, e Josué Almada, 59 anos, presos no fim de junho deste ano. Segundo o Garras, com documentos falsos, Ademar e Josué compraram financiados cinco Citröen C3 em uma mesma concessionária da Capital no período de 30 dias e revenderam os automóveis, avaliados em R$ 40 mil, por até R$ 10 mil.

Os ‘cabeças’ negociavam as compras. Com todos os documentos necessários para o financiamento - todos falsos -, eles iam à loja. Com o cadastro aprovado pela empresa e pela financiadora, a compra era efetivada e no dia marcado para a entrega do automóvel, eram Estiver e Douglaciel quem buscava.

“Ele [Josué] falou para mim que estava com a habilitação vencida e pediu para eu buscar o carro. Ele pegou um papel, escreveu e quando cheguei lá [na concessionária], a mulher viu o papel e minha habilitação e liberou o carro”, conta Estiver.

Estiver e Douglaciel dizem que pegaram dois carros cada. Eles contam que já conheciam Ademar e Josué e que não receberam nenhum pagamento. “Recebi agora que estou preso. Recebi a bronca, a culpa”, fala Estiver.

Entretanto, o delegado Rodrigo Yassaka afirma que os dois recebiam de R$ 50 a R$ 100 por veículo que buscavam.

Douglaciel revela que não tem CNH (Carteira Nacional de Habilitação) e que pegou os carros para “dar uns rolê de Citröen”. “Queria dar uns rolê de Citröen. Nunca tinha andado”, fala tirando sarro da situação.

Os dois afirmam que vão provar que são inocentes porque não sabiam que Ademar e Josué aplicavam golpes. “Ele [Ademar] falava que vendia carro, mas só fazia chucho”, fala Douglaciel, referindo-se as falcatruas dos ‘chefes’.

O Garras afirma que os dois e ainda Wellington, tinham conhecimento do estelionato. “Nós não pedimos a prisão dos três. Foi a Justiça que decretou com base nas provas que apuramos”, fala o delegado Rodrigo Yassaka, explicando que os três já tinham sido indiciados anteriormente, mas, a Justiça decidiu pela prisão.

Conforme Rodrigo, está sendo apurado ainda o grau de envolvimento de Wellington. Ele é apontado como a pessoa que produziu os documentos falsos utilizados nas compras. Ele diz que é inocente e só irá falar em juízo.

Segundo o Garras, Wellington e Ademar já foram presos juntos por estelionato em Aquidauana.

Deixe seu Comentário

Leia Também

ECONOMIA
Caixa vai pagar auxílio emergencial a 805 mil novos beneficiários
NOTÍCIAS
CIEE registra aumento no número de vagas de estágio e aprendizagem
TRÁFICO DE DROGAS E DE MUNIÇÕES
Polícia apreende caminhão que seguia de MS para o RJ, com 3,9 toneladas de maconha, pistola e munições para fuzil
GERAL
Energia elétrica de inadimplentes pode ser cortada a partir de hoje