Menu
Busca sexta, 25 de setembro de 2020

A exemplo de Puccinelli, Trad ironiza projeto político de Dagoberto

23 agosto 2011 - 17h30
A exemplo de Puccinelli, Trad ironiza projeto político de Dagoberto

Conjuntura online


A exemplo do governador André Puccinelli (PMDB), que ironizou recentemente declarações do ex-deputado federal Dagoberto Nogueira (PDT) acerca de uma eventual aliança entre PMDB e PDT para as eleições municipais de 2012 na Capital, o prefeito Nelsinho Trad (PMDB) igualmente criticou o propósito do pedetista em relação ao pleito.


Nogueira disse recentemente que além do PDT, o PT poderia compor com o PMDB para a disputa das eleições do próximo ano e também para o pleito de 2014, quando Puccinelli deverá se lançar ao Senado. Com relação à Capital, Nogueira chegou a afirmar que estaria negociando com o PMDB para ser o candidato do partido para a sucessão municipal, tendo como seu vice, inclusive, um membro do PT.


Para Trad, Nogueira teria de se submeter a um longo e complexo calvário para ter seu nome aprovado como eventual candidato do PMDB e aliados, dando a entender que a proposta do pedetista não passa de um “sonho impossível”, já que é conhecido como tradicional adversário do PMDB, por pertencer ao grupo político do PT - inimigo político ferrenho dos peemedebistas - na cidade e no Estado. “Ele (Nogueira) teria de se submeter às regras do PMDB para ter seu nome endossado pela legenda para tamanho desafio”, disse Trad nesta segunda-feira.


Sem compromisso


O prefeito da Capital garantiu que o PMDB e seus aliados não têm nenhum compromisso com a tão propalada candidatura posta por Nogueira. Trad lembrou que entre os obstáculos a que Nogueira estaria sujeito caso quisesse tentar a vaga de candidato do PMDB às eleições de 2012 estaria a análise de seu desempenho eleitoral por pesquisas qualitativas e quantitativas.


Trad lembrou que o pedetista, para atingir o seu objetivo, primeiro teria de ingressar no grupo dos aliados do PMDB. Em seguida, teria de participar, ativamente, de um projeto do grupo peemedebista visando expor ao eleitor um conjunto de propostas prevendo melhorias para a Capital. Atendendo a esses requisitos e demonstrando maior interesse que os aliados na sucessão na Capital, Nogueira então estaria apto a ter alguma chance de disputar as eleições pelo grupo peemedebista, embora dependesse, mesmo assim, de uma profunda análise de sua densidade eleitoral, entende Trad.


Adversários nas urnas


Trad e Nogueira se enfrentaram na disputa pela prefeitura da Capital em 2004, quando o peemedebista conquistou o seu primeiro mandato pela cidade. Em 2008, porém, Nogueira apoiou a reeleição de Trad. No ano passado, o pedetista resolveu voltar às fileiras da oposição, ocasião em que apoiou a candidatura do ex-governador Zeca do PT para o governo do Estado, no confronto deste com André Puccinelli.


Com um histórico pouco vitorioso de idas e vindas entre os dois grupos políticos, Nogueira estaria agora propenso a dar uma cartada decisiva para tentar a volta por cima em suas andanças pelos bastidores dos dois grupos, nem que para isso tenha de acender uma vela para cada um dos lados. Propósito que tanto peemedebistas como petistas já captaram e, de antemão, parecem rejeitar.

Deixe seu Comentário

Leia Também

SAÚDE
Média móvel de novos casos de Covid-19 continua alta no MS
PANDEMIA
Internações e óbitos por coronavírus voltam a subir em Mato Grosso do Sul
MEIO AMBIENTE
Força-tarefa conta com mais de 50 homens no combate aos focos de calor no Amolar
SAÚDE
Vacinação contra febre aftosa já imunizou 166 milhões de animais