Menu
Busca quinta, 21 de novembro de 2019
INTERNACIONAL

Bolsonaro viaja à Argentina hoje para encontro com Mauricio Macri

06 junho 2019 - 10h00Por G1

O presidente Jair Bolsonaro viaja nesta quinta-feira, dia 06 de junho, à Argentina para se reunir com o presidente Mauricio Macri, empresários e representantes dos Poderes Judiciário e Legislativo.

Esta é a primeira viagem de Bolsonaro a Buenos Aires desde que tomou posse. Em janeiro deste ano, Macri esteve em Brasília (veja na foto acima).

A agenda divulgada pela Presidência prevê alguns compromissos, entre os quais:

Cerimônia na Praça San Martín;

Reunião reservada com Mauricio Macri;

Reunião ampliada com ministros;

Declaração à imprensa;

Encontro com representantes dos poderes Legislativo e Judiciário;

Encontro com empresários;

transmissão ao vivo em uma rede social.

De acordo com o porta-voz da Presidência, Otávio Rêgo Barros, está prevista a assinatura de acordos entre os dois países nas áreas de defesa, ciência e tecnologia, biocombustíveis e mineração.

Na viagem, Bolsonaro estará acompanhado de um comitiva formada pela primeira-dama, Michelle, e por alguns ministros, entre os quais Onyx Lorenzoni (Casa Civil), Fernando Azevedo e Silva (Defesa), Paulo Guedes (Economia), Tereza Cristina (Agricultura) e Augusto Heleno (Gabinete de Segurança Institucional).

Também acompanharão Bolsonaro o governador do Rio de Janeiro, Wilson Witzel, o senador Luis Carlos Heinze (PP-RS), o deputado federal Marcel Van Hattem (Novo-RS) e assessores da Presidência da República.

A volta de Bolsonaro ao Brasil está programada para as 9h25 de sexta-feira (7). O presidente viajará de Buenos Aires para o Rio de Janeiro, onde participará de uma cerimônia militar.

Eleições argentinas

Em outubro, os argentinos irão às urnas para eleger um novo presidente. Bolsonaro tem manifestado reiteradas vezes que apoia a reeleição de Macri. A principal chapa oponente é a composta pela ex-presidente Cristina Kirchner.

Bolsonaro costuma dizer que, se a chapa de Cristina vencer, a Argentina se tornará uma "nova Venezuela".

"O presidente é a favor de governos de países que compactuam com os mesmos valores, fortalecidos pela democracia, pelo valor do livre mercado e das liberdades individuais, que o Brasil tanto lutou para conseguir. Já declarou também por diversas vezes o desejo de que a esquerda não retome o poder no nosso subcontinente sul-americano, como vemos hoje na Venezuela", afirmou o porta-voz de Bolsonaro nesta quarta-feira (5).

Cristina Kirchner anunciou em 18 de maio que disputará as eleições como candidata a vice-presidente na chapa encabeçada por Alberto Fernández, chefe de gabinete do ex-presidente Néstor Kirchner, marido de Cristina e que morreu em 2010.

Conforme a BBC, a decisão de abrir mão de ser cabeça de chapa surpreendeu o mundo político argentino e foi interpretada como uma jogada para tentar diminuir a rejeição à figura de Cristina, vista por parte dos argentinos como responsável pela situação da economia do país.

 

Deixe seu Comentário

Leia Também

ECONOMIA
Confiança do empresário industrial cresce em novembro
OPORTUNIDADE
Sanesul abre processo seletivo para contador, engenheiro e psicólogo
POLÍCIA
Maconha que saiu de Coronel Sapucaia com destino à Capital é apreendida em Caarapó
BODOQUENA
Operação termina com dois presos e cigarro avaliado em R$ 1 mi apreendido