Menu
Busca segunda, 03 de agosto de 2020

CNI/Ibope: popularidade de Dilma supera as de Lula e FHC

30 setembro 2011 - 16h10
CNI/Ibope: popularidade de Dilma supera as de Lula e FHC

Valor

A avaliação positiva da presidente Dilma Rousseff é maior do que as dos ex-presidentes Luiz Inácio Lula da Silva (PT) e Fernando Henrique Cardoso (PSDB) nas terceiras pesquisas de popularidade CNI/Ibope das suas gestões. Enquanto 71% aprovaram Dilma Rousseff à frente do governo neste mês, 69% aprovaram a maneira de governar de Lula na terceira pesquisa do seu primeiro mandato. Em relação a FHC, 57% o aprovaram como presidente em setembro de 1995.

A avaliação do governo Dilma também supera a das gestões dos ex-presidentes. Enquanto o governo da presidente Dilma foi avaliado como ótimo ou bom por 51% dos entrevistados em setembro, em setembro do primeiro ano do governo Lula, o percentual foi de 43%. No mesmo período do primeiro ano de FHC, sua gestão recebeu aprovação de 40%.

O gerente-executivo de pesquisa da Confederação Nacional da Indústria, Renato da Fonseca, destacou que a presidente Dilma herdou a popularidade de Lula. Na última pesquisa de popularidade do seu governo, em dezembro de 2010, Lula atingiu 87% de aprovação pessoal.

'Faxina' melhorou avaliação, diz CNI
A melhora da avaliação da presidente Dilma Rousseff se deve à faxina promovida na Esplanada dos Ministérios, segundo o gerente-executivo de pesquisa da Confederação Nacional da Indústria (CNI), Renato da Fonseca.

A pesquisa de setembro, diz Fonseca, reflete as demissões dos envolvidos em denúncias de corrupção no alto escalão do governo. "Ela conseguiu, dentro do episódio virar um pouco o jogo para trazer coisas positivas para o seu governo", afirmou.

Na pesquisa de setembro, os assuntos mais lembrados de forma espontânea são as denúncias de corrupção nos ministérios dos Transportes, Agricultura e Turismo. Em segundo lugar, vem a faxina ministerial empreendida por Dilma.

Na sondagem realizada em julho, os assuntos mais lembrados foram a crise no Ministério dos Transportes, com 21%, e a demissão do então ministro da Casa Civil, Antonio Palocci, com 14%. As ações da presidente em relação às denúncias não chegaram a ser mencionadas pelos entrevistados na época.

A avaliação positiva da presidente Dilma Rousseff subiu quatro pontos percentuais entre julho e setembro, passando de 67% para 71%. A pesquisa CNI/Ibope entrevistou 2.002 eleitores em 141 municípios. A margem de erro é de dois pontos percentuais.

Deixe seu Comentário

Leia Também

INPE
Incêndios na Amazônia aumentaram 28% em julho em comparação ao ano passado
FORMULA 1
Hamilton vence GP da Inglaterra após ter pneu furado na última volta
CORONEL SAPUCAIA
Mulher morre queimada após casa pegar fogo em aldeia indígena
GERAL
Governo equipa todas microrregiões de MS com estrutura de UTI’s-Covid