Menu
Busca sábado, 08 de agosto de 2020

Deputado Marçal Filho vai debater guerra às drogas

16 setembro 2011 - 16h50
Deputado Marçal Filho vai debater guerra às drogas

Divulgação

Depois de ouvir do coordenador Nacional de Saúde Mental do Ministério da Saúde, Roberto Tykanori, o governo federal vai lançar um amplo programa de assistência aos dependentes químicos, sobretudo as vítimas do crack. O deputado federal Marçal Filho (PMDB/MS) decidiu mobilizar autoridades federais, estaduais e municipais de Mato Grosso do Sul para discutir as medidas que serão adotadas no Estado para atender essa parcela da sociedade. “Estamos organizando uma ampla audiência pública para o mês de outubro onde reuniremos num mesmo local as autoridades médicas, de assistência social, policiais e políticas para debatermos os caminhos que poderão livrar as vítimas das drogas da dependência química”, explica Marçal Filho.

Ele ressalta que a audiência pública para o enfrentamento do crack contará com a participação do deputado federal e ex-presidente da OAB/MS, Fábio Trad (PMDB), além de autoridades do Ministério da Saúde, do governo do Estado e das prefeituras da Grande Dourados. “Como coordenador estadual da Frente Parlamentar de Combate ao Crack e outras Drogas não poderia deixar de realizar essa audiência pública no nosso Estado, mesmo porque o crack está dizimando famílias em todas as classes sociais e precisamos de ações coordenadas para atender essas pessoas”, argumenta Marçal Filho.

A audiência pública que o deputado vai realizar no mês de outubro em Dourados é apenas mais uma iniciativa na guerra pessoal que ele trava contra as drogas e, sobretudo, para garantir tratamento aos dependentes químicos. Na audiência com Roberto Tykanori, por exemplo, Marçal Filho foi informado que o governo federal vai desenvolver um programa será nos moldes daqueles que já existem nos países desenvolvidos, onde o dependente é tratado em sua plenitude e não apenas por meio de medidas paliativas. “Num primeiro momento o dependente será internado em unidades mantidas pelo Ministério da Saúde e, num segundo momento, será levado para instituições parceiras onde receberá todo acompanhamento psiquiátrico, psicológico, de assistência social e terapêutico para se livrar das drogas”, explica.

Antes da audiência com o coordenador Nacional de Saúde Mental do Ministério da Saúde, o deputado Marçal Filho já havia se reunido com o assessor especial do Ministério da Saúde, Edson Pereira de Oliveira, para discutir formas de tratar o crack como uma verdadeira epidemia, direcionando, dessa forma, assistência diferenciada às pessoas que acabam seduzidas pelo vício. “O Brasil tem hoje mais de um milhão de pessoas com dependência do crack, mas esse número deve ser três ou quatro vezes maior porque a grande maioria dos usuários não é identificada pelo sistema de saúde, portanto já vivemos uma epidemia”, enfatiza Marçal Filho.

A luta do deputado em favor das vítimas dessa droga é antiga, com Marçal Filho sempre cobrando maior empenho dos organismos de segurança pública e de saúde contra o crack. “Fiquei satisfeito quando a presidente Dilma Rousseff disse que o governo federal iria declarar guerra ao crack, e estou ainda mais satisfeito ao saber que novas medidas estão sendo estudadas”, afirma Marçal, que também garantiu recursos de R$ 500 mil para a construção do Núcleo Jurídico da Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul (Uems) com objetivo de prestar assistência dentro do Centro Regional de Referência no Enfrentamento e Combate ao Crack e Outras Drogas.

Mais recentemente, o deputado Marçal Filho participou de reunião no Comando Militar do Oeste (CMO), em Campo Grande, integrando a comitiva da Comissão Especial de Política sobre Drogas da Câmara dos Deputados, presidida pelo deputado Reginaldo Lopes (PT/MG). “Na audiência com o general João Francisco Ferreira, do Comando Militar do Oeste, responsável pelas regiões de Mato Grosso do Sul e Mato Grosso, defendi a presença do Exército Brasileiro no combate efetivo ao tráfico de drogas na região de fronteira e essa semana fiquei satisfeito ao ser informado que os bravos homens das nossas Forças Armadas já estão em operações contra as drogas”, comemora Marçal Filho.

Marçal voltou a destacar a importância do Plano Estratégico de Fronteiras no combate ao tráfico de drogas. O deputado ressalta que o que acontece hoje, com a integração das Forças Armadas com as demais forças de segurança como a Polícia Federal (PF), Polícia Rodoviária Federal (PRF), Polícia Militar (PM), Polícia Civil e Força Nacional de Segurança, já era uma antiga cobrança. “Desde que presidi a Comissão de Criação do Ministério da Defesa, há mais de 12 anos, tenho insistido na tese que nossas fronteiras só seriam devidamente protegidas e o tráfico combatido com a integração das forças de segurança públicas e o exército brasileiro”, finaliza Marçal Filho.

Deixe seu Comentário

Leia Também

GERAL
Mega-Sena sorteia neste sábado prêmio de R$ 6,5 milhões
NASCIMENTO
Por conta de pandemia, pai assiste nascimento do filho por videochamada: 'Emoção indescritível'
CHAPADÃO DO SUL
Ônibus que levava trabalhadores para usina fica carbonizado após acidente
SAÚDE
Covid-19: Fiocruz recebe R$ 100 milhões para produção de vacina