Menu
Busca sábado, 15 de agosto de 2020

Kayatt e comandante do “Onze” se encontram para demarcar área do anel viário

03 setembro 2011 - 07h00
Kayatt e comandante do “Onze” se encontram para demarcar área do anel viário

Divulgação (TP)

O prefeito de Ponta Porã, Flávio Kayatt, e o comandante do 11° Regimento de Cavalaria Mecanizado, Coronel Fernando Ramiro Monteiro de Castro, vão fazer na manhã da próxima segunda-feira, o início da demarcação da área destinada para a construção do anel viário de Ponta Porã.

A solenidade simples, porém histórica, deverá simbolizar o início da concretização de um antigo sonho dos pontaporanenses que é a construção de um desvio do tráfego pesado que causa transtornos aos moradores e comerciantes estabelecidos na área central da cidade.

São aguardadas as presenças dos vereadores e também de lideranças e representantes dos mais diversos segmentos da sociedade local.

Para viabilizar a obra do anel viário o prefeito Flávio Kayatt empreendeu negociações com o Governo Federal, especialmente os setores que cuidam do Patrimônio da União. A negociação era necessária porque parte do anel viário deverá ser construído numa área que é cuidada pelo Exército.

No mês de julho, durante as comemorações dos 99 anos de Ponta Porã, o prefeito Flávio Kayatt e o General de Divisão Marcelo Flávio Oliveira Aguiar, comandante da 9ª Região Militar, firmaram um documento que concretiza a permuta de uma área de 7,7 hectares.

O acordo da Prefeitura com o Exército prevê a construção de um trecho de cerca de 1.800 metros dentro da área cuidada pelo “Onze”. Em troca, a Prefeitura vai construiu uma cerca em torno da pista e uma ponte com passagem para os veículos e equipamentos bélicos utilizados nos exercícios militares.

Deixe seu Comentário

Leia Também

FESTA
Polícia acaba com festa ilegal em condomínio, prende duas pessoas e multa dono de casa em R$ 15 mil em MS
SAÚDE
Covid-19: profissionais de saúde podem se alistar para teste de vacina
CAPITAL
Homem morre após trocar tiros com a polícia em Campo Grande
EDUCAÇÃO
Professores viajam por horas para ensinar alunos em comunidades ribeirinhas do Pantanal de MS