Menu
Busca quinta, 06 de agosto de 2020

PPS quer que denúncias contra Paulo Bernardo sejam apuradas

30 agosto 2011 - 17h30
PPS protocola pedido na Comissão de Ética da Presidência para apuração de denúncias contra Paulo Bernardo

Agência Brasil

O PPS protocolou hoje (30) um requerimento para que a Comissão de Ética Pública da Presidência da República apure o uso de aviões particulares de pequeno porte pelo ministro das Comunicações, Paulo Bernardo. Com o requerimento, o partido quer que a comissão responda se Bernardo infringiu o Código de Conduta da Alta Administração.

O documento entregue é assinado pelo deputado Arnaldo Jordy (PA) e reproduz o Artigo 7° do código, que diz: “A autoridade pública não poderá receber salário ou qualquer outra remuneração de fonte privada em desacordo com a lei, nem receber transporte, hospedagem ou quaisquer favores de particulares de forma a permitir situação que possa gerar dúvida sobre a sua probidade ou honorabilidade”.

Reportagem da revista Época mostrou que, no ano passado, Bernardo, à época, ministro do Planejamento, viajou no avião do dono de uma construtora que recebeu recursos do governo federal. A empresa é apontada pelo Tribunal de Contas da União como executora de obras com superfaturamento. O PPS também entregou à comissão um vídeo que mostraria o ministro viajando em aeronave particular, em outra ocasião.

“Para não se dizer que há pré-julgamento, estamos pedindo para o órgão competente se manifestar se houve ilícito ou não e, a partir dessa manifestação, o PPS vai tomar as providências cabíveis no sentido de corrigir essas distorções”, disse Jordy.

Em nota divulgada no último dia 21, o ministro negou irregularidades e explicou que, em 2010, ele participou, nos fins de semana, feriados e férias, da campanha eleitoral no Paraná, em que sua esposa, Gleisi Hoffmann, concorria a uma vaga para o Senado. "Para isso, utilizávamos aviões fretados pela campanha, o que incluiu aeronaves de várias empresas, que receberam pagamento pelo serviço. Não tenho, porém, condições de lembrar e especificar prefixos e tipos ou proprietários dos aviões nos quais voei no período", alegou. Gleisi foi eleita senadora e, hoje, é ministra-chefe da Casa Civil.

A próxima reunião da Comissão de Ética Pública está marcada para o dia 12 de setembro, quando o requerimento será entregue aos conselheiros para análise.

Deixe seu Comentário

Leia Também

GERAL
Agentes prisionais tiveram saúde mental abalada na pandemia
Pesquisa mostra que tensão entre os presos é um dos motivos
SAÚDE
MP destina R$ 1,99 bilhão para viabilizar vacina contra covid-19
TRÊS LAGOAS
Polícia Militar Ambiental captura jiboia em condomínio
NOTÍCIAS
Paraguai prevê reabertura de lojas da fronteira em setembro
Ministro de Relações Exteriores diz que conversa está avançada com governo brasileiro