Menu
Busca segunda, 30 de novembro de 2020

Russo critica divergências entre ex-ministros sobre Código Florestal

26 agosto 2011 - 17h20
Russo critica divergências entre ex-ministros sobre Código Florestal


Campograndenews


O senador Antonio Russo afirmou que as visões dos ex-ministros da Agricultura e do Meio Ambiente sobre o Código Florestal parecem a de pessoas que vivem em países diferentes. Após acompanhar a reunião conjunta das Comissões de Agricultura, de Meio Ambiente e de Ciência e Tecnologia, nesta quinta-feira (25), em que se ouvira os ex-ministros da Agricultura, Francisco Turra, Reinhold Stephanes e Alysson Paulinelli, Russo disse que voltou a se sentir em solo brasileiro, ao contrário do que quando, no dia anterior, acompanhou os ex-ministros do Meio Ambiente, Marina Silva, Carlos Minc, José Carlos Carvalho e Sarney Filho.

“Parece que os ex-ministros da Agricultura vivem em um país diferente do dos ex-ministros do Meio Ambiente. Hoje sim, me senti no Brasil, porque ontem (quarta-feira, 24) parecia que os expositores estavam preocupados apenas com Copenhagen e Rio + 20”, disse o senador por Mato Grosso do Sul.

Antonio Russo disse que não é contra os acordos internacionais assinados em prol da preservação ambiental, mas questiona a prioridade e o enfoque que os ambientalistas dão a eles, dando a impressão de que eles não leram o texto produzido pelo deputado Aldo Rabelo.

Aprovação rápida do Código Florestal - Os ex-ministros da Agricultura Reinhold Stephanes, Francisco Turra e Alysson Paulinelli defenderam a aprovação rápida pelo Senado do Novo Código Florestal.

Stephanes disse que a legislação em vigor é inviável e que por isso é importante votar o texto no Senado logo. Ele sugeriu que os aperfeiçoamentos necessários ao texto sejam feitos ao longo dos próximos anos. O ex-ministro também destacou a preocupação do setor agrícola com o uso de tecnologias para preservar os recursos naturais, como plantio direto (técnica de plantio de grãos que promove a conservação do solo); combate biológico de pragas; e integração lavoura, pecuária e floresta.

No mesmo sentido, Paulinelli disse que o país não pode se descuidar de seu potencial agrícola e de sua capacidade de gerar conhecimento científico para o avanço do agronegócio.

Para Francisco Turra a aprovação da matéria é fundamental para garantir a continuidade do crescimento da agricultura brasileira. Ele disse que o agronegócio está organizado "para produzir e preservar". Também afirmou que o Código não prevê anistia a desmatadores nem incentiva novos desmatamentos.

APPs - Ao comentar as normas propostas para legalizar plantios em Área de Preservação Permanente (APP), Stephanes defendeu que o novo código regularize atividades consolidadas, como plantio de uva, maçã e café nas regiões Sul e Sudeste. Para ele, plantios em margem de rio, encosta, topo de morro e várzeas, se forem feitos sem agredir o meio ambiente, sem causar erosão, devem ser regulamentados.

Stephanes criticou as atuais regras para punir desmatadores, afirmando ter havido excessos por parte dos órgãos ambientais. Para ele, o novo código deve regularizar terras abertas conforme legislação da época e prever regras para aqueles que desmataram de forma irregular, prevendo mecanismos para incentivar o reflorestamento das áreas.

*Ex-ministros pregam mudanças - Os ex-ministros de Meio Ambiente Marina Silva, Carlos Minc, José Carlos Carvalho e Sarney Filho afirmaram no Senado na quarta-feira (24) que o projeto de reforma de Código Florestal precisa ser modificado para eliminar brechas para novos desmatamentos, incluir instrumentos econômicos de incentivo à manutenção e recomposição de áreas florestadas e para diferenciar medidas para a agricultura familiar.

(*) Com informações da assessoria

Deixe seu Comentário

Leia Também

ARAL MOREIRA
Homem é encontrado carbonizado e com marcas de tiros no corpo
Motocicleta com placas do Paraguai também foi queimada
IGUATEMI
Homem morre vítima de tiro acidental na cabeça durante pescaria
Jair Ruzzene, de 56 anos, se apoiou em cano de espingarda quando arma disparou e o atingiu
MARACAJU
Veículo com quase meia tonelada de maconha foi apreendido pelo DOF
ECONOMIA
Caixa retorna valores não movimentados do saque emergencial do FGTS