Menu
Busca segunda, 15 de outubro de 2018
(67) 9.9973-5413
POLÍTICA

Simone Tebet renuncia candidatura ao governo de Mato Grosso do Sul

Em nota, senadora alegou que foi uma decisão pessoal

12 agosto 2018 - 21h20Por Da redação

O MDB acabou de confirmar que a senadora Simone Tabet não irá concorrer às Eleições 2018 como candidata ao Governo de Mato Grosso do Sul. Alegando questões particulares, a emedebista se pronunciou em nota oficial e explicou os motivos da desistência.

Na noite deste domingo (12), segundo o Midiamax, uma reunião com a cúpula do partido resultou na candidatura do procurador de Justiça licenciado Sérgio Harfouche para o Governo. A princípio, ele seria o vice de Simone.

Segundo um deputado que falou com o jornal, mas preferiu não se identificar, a cúpula do partido discute eventualidade que o procurador Harfouche arrume a titularidade da candidatura, mantendo a aliança do MDB com o PSC.

O MDB deve anunciar até amanhã (13), a nova vice, que deve ser uma mulher, e manter a composição da chapa.

A princípio, Harfouche seria candidato ao Senado pelo PSC, depois se lançou ao governo, em outro momento foi apontado como o candidato a vice do MDB e agora volta com a candidatura ao governo.

Confira a nota da senadora Simone Tebet na íntegra:

“Como é do conhecimento de todos os membros deste Diretório, e de todos os companheiros emedebistas, nosso Partido estava, até duas semanas atrás, com a sua campanha totalmente estruturada em torno do nosso candidato natural ao Governo do Estado, André Puccinelli.

Um quadro de instabilidade atingiu nosso partido aqui em Mato Grosso do Sul, com a (em nosso entendimento) intempestiva intervenção judiciária num processo eleitoral que, até então, vinha se desenvolvendo nos marcos da normalidade.

Não posso – e os emedebistas e o povo sul-mato-grossense não podem – compreender como “normal” a prisão de um candidato a governador às vésperas da eleição, sem prévia condenação. Vimo-nos, então, obrigados a reagir a esse novo quadro de forma imediata, levados pela emoção e ainda chocados com as medidas que lhe foram impostas.

Foi, principalmente, devido a essa emoção, e respondendo ao apelo que me foi formulado pelo próprio André Puccinelli, que aceitei, em nossa última Convenção, a apresentação do meu nome como candidata ao Governo do Estado de Mato Grosso do Sul.

Foi, como disse, uma decisão pessoal. Desde então, outras considerações, apontadas por meus familiares levam-me a rever essa decisão.

Conhecendo meus problemas de ordem pessoal, recebi apelos contundentes da minha família para não ser candidata.

Assim, acatando ao apelo de meus familiares, renuncio, à minha candidatura ao Governo do Estado de Mato Grosso do Sul pelo MDB, mas reafirmo minha confiança na pujança e unidade do nosso partido e dos nossos aliados, para manter a viabilidade do nosso projeto político, que tem se mostrado, ao longo dos anos – e mesmo décadas –, como imprescindível para o desenvolvimento do nosso Estado.

Se a opção for a escolha de um quadro partidário para ocupar a cabeça de chapa, quero lembrar o nome do companheiro Sérgio Harfouche, cuja competência e cujo compromisso com esse projeto não podem ser postos em causa.

Seja qual for a opção a ser adotada por esse Diretório, terá em mim uma militante aguerrida e disciplinada na defesa – volto a repetir – do nosso projeto político, que considero (e não precisaria dizê-lo) o melhor para a nossa gente”.

Deixe seu Comentário

Leia Também

GERAL
“A democracia vai nos tirar dessa chuva ácida”, diz Ayres Britto
FATAL
Carreta passa em cima de motociclista, acidente fatal em Ponta Porã
GERAL
Vagões de carga que descarrilaram em MS são retirados de trilho e tráfego é liberado
FURTO
Moradores de Campo Grande chegam de viagem e encontram casas arrombadas e objetos furtados