Menu
Busca quarta, 12 de agosto de 2020

Vereador questiona cobrança de água realizada pela Sanesul

30 agosto 2011 - 15h35
Ludimar Novais afirma que cobrança igualada de valor de consumo de 01 à 10m³ prejudica justamente os consumidores menos favorecidos economicamente, além de não estimular a economia d’água.

Divulgação (TP)

O Vereador Ludimar Novais (PPS), manifestou na tribuna da Câmara Municipal na ultima quinta-feira 25/08, que enviou indicação ao Gerente da Sanesul questionando a cobrança igualada de 01 à 10m³ de consumo de água residencial, entendendo que se deve pagar apenas pela água utilizada e não por estrutura tarifária divida por faixa de consumo, o que entende ser uma afronta ao consumidor, principalmente ao menos favorecido economicamente.

O parlamentar recebeu resposta da empresa detalhando apenas a escala de cobrança dos que consomem acima de 10 metros cúbicos, não havendo especificação dos que consomem de 01 à 10 metros cúbicos e que paga hoje o valor genérico de R$24,00 o que faz que justamente a população menos favorecida sustente toda a estrutura da empresa de saneamento.

Ludimar entende que se o consumidor que utilizou menos de 10m³ de água em sua residência deveria receber em sua conta um detalhamento do consumo, e que lhe fosse cobrado apenas o utilizado, se usou 4 metros cúbicos, que lhe fosse cobrado pelo consumo, se não utilizou nenhuma gota d’água, que não lhe fosse cobrado um só tostão.

“Esse valor de R$24,00 faz uma diferença imensa no orçamento da população menos favorecida economicamente, a água é um bem universal, 20% da população irá passar por alguma dificuldade pela falta deste bem natural, essa cobrança igualada não estimula a economia além do que entendo ser uma cobrança indevida” lembrou Ludimar.

O Vereador frisou que irá aguardar uma resposta por escrito da Sanesul que convença a cobrança igualada de 01 a 10 m³, ou noutro caso poderá sensibilizar o Procon e também o Ministério Público para que seja verificado se a cobrança está dentro da legalidade, com o propósito que o consumidor não seja mais penalizado e pague apenas o que consome em suas moradias.

O parlamentar finalizou lembrando que no próximo ano vence a concessão da administração e exploração de água da Sanesul, e que muitos critérios deverão ser discutidos justamente pelo executivo municipal para a renovação do contrato, e esta realidade injusta para o consumidor poderá ser revertida para os próximos 20 ou 25 anos em beneficio da população.

A Lei nº 8.078 de 11 de Setembro de 1990, Código de Defesa do consumidor lembra no seu Art. 42 Parágrafo único “O consumidor cobrado em quantia indevida tem direito à repetição do indébito, por valor igual ao dobro do que pagou em excesso, acrescido de correção monetária e juros legais, salvo hipótese de engano justificável”.

Fonte: Ricardo Zacarias/ Assessor



Deixe seu Comentário

Leia Também

POLÍTICA
Congresso marca três reuniões para analisar todos vetos presidenciais
MATO GROSSO DO SUL
Governo divulga resultado preliminar de processo seletivo para área da saúde
GERAL
Anvisa quer reforçar medidas contra covid-19 em aeroportos e aeronaves
ANTÔNIO JOÃO
Polícia Civil prende foragido da justiça procurado pela prática de falsidade ideológica