Menu
Busca sexta, 23 de outubro de 2020

Câmara Municipal de Bela Vista afasta prefeito investigado por fraude

07 junho 2016 - 10h00Por CG News
Com 8 votos a favor e 3 contra, o atual prefeito de Bela Vista, Douglas Gomes (PP), foi afastado do cargo pela Câmara Municipal por 180 dias. Gomes é investigado em CPI (Comissão Parlamentar de Inquérito) por irregularidades em licitações.


Douglas Gomes era vice-prefeito e assumiu a cadeira em agosto do ano passado, após o afastamento do titular, Renato de Souza Rosa, encontrado morto com um tiro no peito em Jardim, no dia 29 de outubro de 2015.

A polícia concluiu que Renato cometeu suicídio. Os dois tinham sido eleitos em eleição suplementar em julho de 2013, depois que o eleito em 2012, Abraão Zacarias, ser cassado por uso irregular de meio de comunicação.

Irregularidade - A suposta fraude em uma licitação para locação de uma escavadeira hidráulica – no valor de R$ 7.705 – tinha sido publicada no site Bela Vista MS e foi reforçada no dia 18 de abril pela professora Fátima Peralta.

Em depoimento no plenário da Câmara, ela afirmou que o nome de seu filho, o empresário Mayckon Peralta, tinha sido usado indevidamente no certame e que até a assinatura dele havia sido falsificada.

Documentos publicados na imprensa local de Bela Vista revelam também que a empresa vencedora da licitação, Christopher Patry Corbani dos Santos Pereira ME, não funciona no endereço informado no processo de licitação.

A empresa teria sido montada 45 dias antes de ser escolhida pela prefeitura para fornecer a máquina. No dia 12 de janeiro deste ano, Douglas Gomes assinou a dispensa de licitação, declarando a Christopher Patry como vencedora do certame, apesar de a empresa ter apresentado alvará de localização vencido.

Deixe seu Comentário

Leia Também

ECONOMIA
Resgates superam investimentos no Tesouro Direto em R$ 168,48 milhões
EDUCAÇÃO
Censo mostra que ensino a distância ganha espaço no ensino superior
ECONOMIA
Contas externas têm em setembro sexto mês seguido de saldo positivo
INTERNACIONAL
Brasil e outros 31 países assinam declaração sobre saúde da mulher