Menu
Busca domingo, 25 de outubro de 2020

Depois de "dilúvio", cidade precisa de R$ 7 milhões

13 janeiro 2016 - 07h15Por Correio do Estado
Depois de “dilúvio”, onde em apenas um dia choveu 130mm, Ivinhema (MS) – distante 297 km da Capital – precisará de, pelo menos, R$ 7 milhões para recuperar os estragos. A avaliação é do prefeito Éder Uilson.

Nesta terça-feira, equipe da Defesa Civil do Estado fez avaliações no município para constar em relatório, que servirá para o município pedir estado de emergência e conseguir recursos.

“Estive juntamente com o governador na Coordenadoria de Defesa Civil do Estado para mostrar como nosso problema é preocupante. Reforcei ao Reinaldo a necessidade da intervenção do estado para a recuperação dos danos causados pelas chuvas”, disse o prefeito.

Um dos locais destruídos foi na estrada da Gleba Azul, onde tubos foram arrancados pela correnteza. Outro ponto que já foi interditado e que deve ter uma atenção maior dos motoristas é a estrada rural que liga o Bairro Itapoã ao residencial Solar do Vale, onde um buraco foi formado na localidade, “tivemos que interditar a estrada que da acesso ao laticínio União, sentido Bairro Itapoã, galeria não suportou os volumes de águas”.

“Vou decretar novamente Estado de Emergência, nossa cidade precisa de ajuda e não temos condições de colocar tudo em ordem, precisamos deles. Vamos buscar ajuda junto ao Governo do Estado para recuperarmos nossas estradas e também nossa cidade. Pedimos à população paciência pois o não temos controle sobre as coisas de Deus, essa chuva toda que não para de cair, não temos como trabalhar e pedimos o apoio de todos”, finalizou Tuta.

Deixe seu Comentário

Leia Também

PANDEMIA
Com novos testes positivos, casos de Covid-19 continuam crescendo em todo o MS
TRÁFICO
Motorista de guincho suspeita de contratante, aciona polícia e droga é encontrada dentro de carro em MS
SERVIDOR
Sonho que virou realidade, piloto da PM tem orgulho em servir a sociedade
CRIME AMBIENTAL
Polícia Militar Ambiental de Mundo Novo localiza e autua um pescador e autuará outro que divulgaram vídeo e fotos nas redes sociais praticando pesca predatória