Menu
Busca domingo, 20 de setembro de 2020

Governo cria plano piloto com seis municípios para combater mosquito transmissor da Dengue e Zika

29 dezembro 2015 - 07h00Por Assessoria
O Governo do Estado, por meio da Secretaria de Estado de Saúde e com a participação da Subsecretaria de Comunicação, realizou, nesta segunda-feira (28), uma reunião com prefeitos e secretários de cinco dos seis municípios polos que irão participar de um plano piloto para combater o mosquito Aedes aegypti, transmissor da Dengue, Zika vírus e Chikungunya. A intenção é usar tecnologia e informação para evitar uma epidemia das doenças, em especial a Zika, associada à microcefalia. O encontro foi realizado na Sala de Situação, localizada em frente à Acadepol, no Parque dos Poderes.

“Estamos potencialmente a frente de uma calamidade”, alertou o secretário de Estado de Saúde, Nelson Tavares. A estratégia é aperfeiçoar a qualidade das visitas dos agentes comunitários, de saúde e de endemias aos 850 mil domicílios de Mato Grosso do Sul. O plano piloto será implementado em São Gabriel do Oeste, Maracaju, Bataguassu, Bonito, Costa Rica e Taquarussu.

Os agentes de endemias usarão tablets e smartphones para se comunicar em tempo real com a Sala de Situação. Por meio da tecnologia (GPS) será possível verificar se o agente realmente visitou o domicílio. Um programa já foi desenvolvido pelo Governo para isso. Duzentos e sessenta tablets vindos da Receita Federal serão distribuídos para esse combate nos seis municípios, mas os profissionais poderão também usar os próprios smartphones. E para incentivar esse trabalho de campo, o Governo estuda fazer um pagamento por produtividade aos agentes de endemias.

Nelson Tavares explicou a urgência das ações contra o mosquito e disse ter esperança de que a sociedade irá se mobilizar quando tomar consciência do tamanho do problema. “Não podemos esperar fevereiro ou março para se mobilizar”, afirmou. A guerra contra o mosquito depende da participação de todos, que não podem deixar água parada permitindo a reprodução do vetor. Para o secretário de Saúde, a Zika poderá ser protagonista da maior epidemia de saúde pública dos últimos 100 anos, superando as epidemias de Aids e de poliomelite no século passado.

Prefeito de São Gabriel do Oeste, Adão Rolim contou que já está intensificando as ações para exterminar o mosquito. “Temos focos em todos os municípios. A situação em São Gabriel do Oeste ainda não é alarmante, mas considerando toda a gravidade dessas doenças já fizemos uma reunião com todos os agentes que terão todas as condições de notificar e multar quem colocar a vida dos outros em risco. A cada seis meses passamos recolhendo os entulhos, mas agora vamos intensificar isso. A partir do dia 4 vamos fazer uma grande operação de limpeza. Nós também estamos intensificando a nossa comunicação para fazer um apelo à população para não deixar o mosquito se proliferar”, disse.

O subsecretário de Comunicação, Rodrigo Mendes, apresentou as campanhas do Governo do Estado, com vídeo institucional, cartazes, folhetos, adesivos (para casa e carro), faixas, uso das mídias sociais, e spots em rádios, entre outros, que serão usadas para conscientizar à população sobre os riscos da Zika. “A intenção não é deixar a população apavorada, mas mostrar e sensibilizar para o risco da doença. Vamos usar todas as ferramentas para levar a informação à população”.

Deixe seu Comentário

Leia Também

TRAGÉDIA
Bombeiro em Dourados morre durante acidente em Santa Catarina
INTERNACIONAL
TikTok move processo para tentar reverter banimento nos EUA
INTERNACIONAL
Museu sobre acidente nuclear de Fukushima abre suas portas
INTERNACIONAL
Protestos contra monarquia ganham força na Tailândia