Menu
Busca quarta, 28 de outubro de 2020
MAIS CARAS

Passagens terrestres terão reajustes de 10 e 13% em MS

15 março 2016 - 10h15Por Fonte: Dourados News
O Conselho Diretor da Agência Estadual de Regulação de Serviços Públicos (Agepan) aprovou os percentuais de reajuste para as tarifas praticadas no Sistema de Transporte Rodoviário Intermunicipal de Passageiros do Estado de Mato Grosso do Sul. Os novos percentuais estão estabelecidos na Portaria nº 128, de 14 de março de 2016, publicada no Diário Oficial do Estado desta terça-feira (15), e passam a valer hoje, [clique aqui](https://ww1.imprensaoficial.ms.gov.br/pdf/DO9125_15_03_2016.pdf).

O reajustamento será de 10,36% para as modalidades de Linhas Regionais, Estruturais e Serviços Locais, e de 13,60% para as Linhas Regionais com Características de Transporte Urbano.

Nas ligações intermunicipais que ofereçam padrões de serviços executivos ou leito fica admitido o incremento de até 20% nos coeficientes tarifários.

A tabela com os valores dos coeficientes tarifários – divulgados no anexo da portaria – estão disponíveis para consulta no site da Agepan, no tópico Transporte Rodoviário – Intermunicipal de Passageiros – Tarifas – Tabelas, veja aqui.

Data-base

O reajuste é concedido anualmente no mês de março, conforme estabelece a Portaria Agepan nº 086, de 08 de março de 2012. A aplicação do reajuste e a definição dos percentuais levam em conta estudos econômicos para a recomposição do poder de compra e continuidade dos serviços públicos de Transporte Rodoviário Intermunicipal de Passageiros.

O Sistema de Transporte Rodoviário Intermunicipal de Passageiros conta atualmente com 185 linhas em operação, que percorrem anualmente cerca de 34.821.483 quilômetros em aproximadamente 265,5 mil viagens.

Deixe seu Comentário

Leia Também

TEMPO
Instabilidades aumentam e chuvas podem voltar a partir desta quarta-feira
REGIÃO
Polícia Militar Ambiental de Costa Rica autua em R$ 10 mil e interdita lava jato e borracharia por poluição ambiental
JUSTIÇA
Universidade que descumpriu parcelamento privado deve indenizar estudante
ECONOMIA
Tesouro descarta preocupação com encurtamento da dívida pública