Menu
Busca segunda, 18 de janeiro de 2021

Polícia de MS recebe orientação de estrategista de fábrica de cigarros sobre contrabando

30 maio 2012 - 08h39Por MídiaMax
A maior fabricante de cigarros da América Latina, Souza Cruz, enviou representante para palestrar a um público diretamente ligado à fiscalização da entrada de cigarros oriundos do Paraguai em território sul-mato-grossense: policiais militares, civis e até guarda municipais de Dourados, cidade onde acontecia o evento, no dia 23 de maio, no auditório do Hotel Bahamas. O detalhe é que o congresso foi realizado pela Secretaria Estadual de Justiça e Segurança Pública (Sejusp), Governo do Estado de MS e Departamento de Operações de Fronteira (DOF).

Diretamente interessada no impedimento da entrada de cigarros paraguaios em território nacional, já que significa concorrência desleal por conta do não pagamento de tributos, a Souza Cruz foi representada no evento por seu gerente de planejamento estratégico Rodrigo Morais, que ministrou palestra com o tema “identificação de cigarro ilegal”.

Um policial militar que participou do congresso, que prefere não se identificar por medo de represálias, revela que o representante da Souza Cruz foi o que teve a palestra mais longa. “Ele mostrou vários gráficos, inclusive falou das rotas que os contrabandistas usam para tentar burlar a nossa fiscalização. Mas a gente tem conhecimento disto. Só não entendo se é coincidência ou não trazerem alguém da Souza Cruz depois de grandes operações que a policia fez que culminou em gigantescas apreensões de cigarros aqui”, questiona.

Rodrigo Moraes, segundo o policial que participou do congresso, fez um apelo quase que emocionado sobre a concorrência desleal com o mercado nacional, em relação à entrada de cigarros do Paraguai. Ele fez também uma revelação de que o mercado ilegal do país vizinho dividiu o Brasil em regiões e que as marcas são mandadas para praças específicas como, por exemplo, a marca Fox vem para MS.

Participaram do congresso policiais da Polícia Federal, Polícia Rodoviária Federal, Departamento Operação de Fronteira (DOF), Polícia Militar Ambiental, Polícia Civil e Guarda Municipal de Dourados.

Rotas

Os contrabandistas de cigarro usam rotas alternativas de estradas vicinais, conhecidas como ‘cabriteiras’, para tentar burlar o trabalho de fiscalização. É quase que rotineiro flagrantes da Polícia Rodoviária Estadual e Federal de carregamentos. Recentemente foi deflagrada uma operação que culminou em grandes apreensões no Estado.

Deixe seu Comentário

Leia Também

SAÚDE
Vacinas contra a covid-19 começam a ser distribuídas
EDUCAÇÃO
Enem 2020: 51,5% dos inscritos no Enem não comparecem ao exame
Ministro da Educação, Milton Ribeiro, diz que domingo inicial do exame foi 'um sucesso'
COSTA RICA
Polícia Militar prende jovens em tentativa de furto à Agência dos Correios
IMUNIZAÇÃO
Mato Grosso do Sul recebe 97 mil doses de vacina contra Covid-19