Menu
Busca domingo, 20 de setembro de 2020

Principais acessos ao Sul do Brasil estão interditados depois de chuva

Principais acessos ao Sul do Brasil estão interditados depois de chuva

14 dezembro 2015 - 07h15Por Correio do Estado
Mais estragos. A situação, que já é crítica nos municípios do Estado, está ainda pior, com o desmoronamento de pistas de rodovias. O principal acesso ao estado do Paraná, por exemplo, está intransitável, e até mesmo algumas vias alternativas foram destruídas. Para chegar ao Sul do País, no entanto, ainda é possível seguir por único acesso, mas o caminho entre as cidades de Naviraí e Eldorado está impedido. Entre Juti e Iguatemi, também.

Isso porque trechos das rodovias BR-163, MS-180 e MS-487 estão interditados. A situação já prejudica o escoamento de mercadorias e produtos para o Sul do País.

O maior transtorno foi registrado na noite de sexta-feira (11), quando desmoronou trecho localizado no km 49, da BR-163, entre Eldorado e Itaquiraí. De acordo com a Polícia Rodoviária Federal (PRF), foi necessária a interdição total da pista. O grande volume de chuva fez com que houvesse alagamento neste trecho, e a drenagem da rodovia não suportou. O asfalto cedeu, e uma cratera se formou, tomando conta de toda a largura da pista.

Equipes da concessionária que administra a estrada, a CCR MSVia, interditaram a pista, que permanece bloqueada para tráfego de veículos. A estimativa para liberação do trecho é de quatro dias. Mas, para isso, não pode mais chover, e o sol tem que que aparecer. A previsão do tempo, no entanto, indica mais chuva.

A gravidade da situação aumenta, porque a MS-180, que liga Iguatemi a Juti, está interditada. Ela poderia funcionar como rota alternativa; porém, o trecho do km 95 foi totalmente interditado, na tarde de ontem, pela Defesa Civil e técnicos do governo do Estado. O local estava com aproximadamente 80% do pavimento já desmoronado em decorrência das chuvas intensas, e o tráfego estava comprometido.

Além disso, outro acesso mais fácil ao Sul do Brasil está, há pelo menos 15 dias, também interditado: a MS-487, que liga Naviraí à divisa com o Paraná.

Com isso, chegar aos estados do Sul só é possível dando-se uma “volta”. Conforme a CCR, quem sai de Campo Grande (ou norte de MS) rumo ao Paraná, à Santa Catarina, ou ao Rio Grande do Sul, precisa seguir pela BR-163 até a cidade de Caarapó, onde deve acessar a MS-156 e seguir sentido Amambai, até passar a cidade de Tacuru. Lá, o motorista pega a MS-295, no sentido Iguatemi/Eldorado. Nesse ponto, haverá acesso ao km 40 da BR-163, que está liberado e segue sem problemas até o município de Mundo Novo, na divisa com o Paraná.

A partir da interdição da BR-163 em Eldorado, tal trajeto será a única alternativa de saída para o Sul. Logo, a orientação da concessionária é de dobrar a atenção, porque o fluxo de caminhões nas estradas estaduais vai aumentar bastante.

ISOLAMENTO

De acordo com a prefeita de Eldorado, Marta Maria de Araújo, além da interdição da BR-163, o município sofre com a interdição das únicas três vias de acesso ao distrito de Morumbi, onde vivem cerca de 1 mil pessoas.
“As pessoas estão isoladas. Está impossível passar e estamos tentando abrir rotas alternativas, o que está difícil, por conta da lama”, explica.

Segundo ela, a principal preocupação é com o escoamento da produção para o estado vizinho, pois o distrito conta com três cerâmicas responsáveis pela produção de tijolos, além de uma dezena de olarias. Por conta das chuvas, uma casa teve de ser evacuada, e um carro ficou preso em uma das vias que dá acesso ao distrito.

De acordo com o prefeito do município de Naviraí, distante 349 quilômetros da Capital, Leandro Peres de Matos, a interdição da MS-487 ocorreu próxima ao ponto fiscal. “Para sair para o Paraná, somente por vias paralelas em zonas rurais.”

Dúvidas e questionamentos, pelo site www.msvia.com.br ou por meio do telefone de atendimento ao usuário da empresa: 0800-6480163.

Para os usuários que já se encontram em deslocamento, equipes da PRF e da empresa CCR MSVia estão sinalizando a pista e orientando os motoristas.

VOLUME

Dados da Estação Meteorológica do Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet), no sul do Estado, estimam que, da sexta-feira até a tarde deste sábado, havia chovido 74,6 mm. A estação que registrou o maior volume de chuva foi a do municípios de Sete Quedas, distante 470 quilômetros da Capital. Nos dois dias, choveu 63,2 mm. Em Itaquiraí, o volume foi de 18,2 mm, e em Juti, 4,8 mm.

A previsão é de que a instabilidade continue a atingir o Estado até a próxima quarta-feira.

VERBA

Uma alternativa para reduzir os gastos do governo do Estado, na recuperação das rodovias atingidas pelas chuvas, seriam os recursos do Fundo de Desenvolvimento Rodoviário de Mato Grosso do Estado (Fundersul).
A verba é de R$ 217,864 milhões, mais que o dobro do valor estimado para reparar os danos provocados pelas chuvas, de R$ 100 milhões. No entanto, o recurso não será totalmente usado para consertar as estradas e pontes.

No sábado, o governo do Estado informou, por nota, que está ajudando na recuperação das estradas, utilizando recursos próprios e também do Fundersul, mas não informou os valores investidos.

Deixe seu Comentário

Leia Também

TRAGÉDIA
Bombeiro em Dourados morre durante acidente em Santa Catarina
INTERNACIONAL
TikTok move processo para tentar reverter banimento nos EUA
INTERNACIONAL
Museu sobre acidente nuclear de Fukushima abre suas portas
INTERNACIONAL
Protestos contra monarquia ganham força na Tailândia